Marketing Digital 31/01/2012

As 17 startups que mais têm crescido na Europa

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Quem vive no Brasil, com certeza já ouviu falar da crise que afeta a Europa. Os países estão sem dinheiro, os Governos cobram cada vez mais impostos e as pessoas veem os seus salários reduzidos. Por isso, o pensamento lógico seria imaginar que o mundo empresarial e financeiro nesta parte do mundo está parado. Mas a verdade é que isso não tem acontecido e hoje existem pessoas que ainda acreditam no seu negócio e que o podem fazer crescer mesmo em períodos de estagnação do mercado. Já lhe demos aqui vários exemplos de ideias de negócios que passaram a valar mais de 100 milhões de dólares em 2011 ou de jovens empresários que fizeram sucesso na internet. São tudo casos que merecem a nossa reflexão e que têm como objetivo mantê-lo motivado no seu negócio de freelancer.

Um dos pontos que pretendo que tenham em atenção durante este artigo é o tempo que todas estas empresas demoraram para conseguirem sucesso no mercado. Nem todas irão conseguir atingir a dimensão de um Facebook ou Twitter, mas são projetos consistentes e que conseguem trazer retornos interessantes aos seus proprietários. Mas isso apenas aconteceu porque eles tiveram paciência para esperar e trabalharam durante muitos anos. Como referi no artigo sobre as lições de negócios de Gary Vaynerchuk, é necessário tempo para os projetos crescerem e amadurecerem. Durante muitos anos, estará certamente a trabalhar longas horas a fio com um retorno reduzido. Mas se acreditar efetivamente na sua ideia de negócio e se ela tiver mercado, com certeza mais tarde irá ter o retorno de todo o seu tempo investido. Para que possa conseguir um pouco mais de inspiração para o seu trabalho, fica a lista das 17 startups que mais têm crescido na Europa!

1. Wonga

Funciona apenas para os habitantes do Reino Unido, mas com certeza poderia ser uma ideia interessante a ser utilizada no Brasil ou em Portugal. O Wonga empresta dinheiro de um modo bastante eficiente: os clientes fazem o seu pedido e em 15 minutos o dinheiro está na sua conta. Basta fazer o pedido através do site e esperar que seja aceite. Quem ficar com o dinheiro, tem um período definido para devolver a quantia, que pode ir de um até trinta dias. Como seria de esperar, o valor dos juros a pagar são altos. Esta startup foi fundada em 2007 por Errol Damelin e Jonty Hurwitz, que contam com a ajuda de vários investidores.

2. Mind Candy

Os jogos parecem ser mesmo a melhor forma de criar uma empresa rentável. Apesar de existirem na internet vários casos de sucesso relacionados com esta área, o Mind Candy é um dos principais destaques. Fundada por Michael Acton Smith em 2004, o site funciona como uma rede social com jogos para crianças. O seu jogo mais famoso é o do monstros Moshi, que compram e vendem bens virtuais. O projecto chegou a ser avaliado em um bilião de dólares.

3. Klarna

Há seis anos, três rapazes do norte da Europa tiveram a ideia de criar um produto que facilitasse a venda e compra de produtos em ecommerce. Assim surgiu o Klarna, um site que nasceu para resolver um problema nas lojas online. No fundo, este site possibilita que os clientes comprem na internet e que façam o pagamento apenas depois da compra. Deste modo, aumenta o número de vendas dos ecommerce e gera maior confiança por parte dos compradores. Outro dos seus pontos positivos é permitir que os compradores possam pagar as suas compras de forma parcelada, tal como faz o PagSeguro.

4. WIX

Para quem gosta de sites em Flash, o Wix é um caso a considerar. Este site tornou fácil a construção de páginas em flash, possibilitando aos seus utilizadores a hipótese de terem o seu site pronto em segundos e sem necessidades de conhecimentos em código. Tal como todo este gênero de empresas, conta com uma versão grátis e outra pro. Na paga, você pode remover os anúncios da empresa e ter o seu próprio domínio, o que se torna uma opção lógica para quem quer investir no negócio próprio. A empresa foi fundada em 2006 por Avishai Abrahami.

5. Conduit

O mercado das aplicações é outro que tem crescido a olhos vistos. Por isso, é de esperar que a Conduit continue o seu crescimento e que se torne uma marca bastante valiosa nos próximos anos. Esta empresa para desenvolvedores de aplicações mobile e para a web conta com mais de 250 milhões de utilizadores. O seu fundador afirmou recentemente que a empresa pode estar prestes a ser avaliada em um bilião de dólares.

6. Fon

Com certeza, você já utilizou a internet de um amigo no seu próprio computador. Bem, a Fon está tentando fazer isto à escala global. Ou seja, esta empresa está a tentar que o WiFi fique distribuído por todo o planeta, para que todos possamos ter acesso à internet. O processo é bastante simples: você compra uma “Fonera” e conecta-a com o seu ADSL. A Fon utiliza dois Wifi’s: um privado e um público. O privado é utilizado apenas pelo dono da internet (ou seja, você), enquanto o resto é partilhada para outros utilizadores. Contudo, é necessário uma senha, que é conseguida através do registro no site da empresa. Este processo, garante-lhe vários benefícios, entre os quais de poder utilizar a internet em locais Fon, mesmo que você não tenha qualquer conexão à internet. A empresa foi fundada em 2006 por Martin Varsavsky.

7. Privalia

É uma ideia de negócio inovadora que está cada vez mais na moda, mas a verdade é que pouco têm conseguido tanto sucesso como a Privalia. Esta empresa, com sede em Barcelona, funciona como um clube online de compras, no qual grandes marcas anunciam produtos com um desconto considerável. Um dos seus pontos fontes é a campanha para divulgação do site, no qual qualquer pessoa pode dar a conhecer o site a outras pessoas e ainda ganhar dez reais por cada amigo que indicar. O site, fundado por Lucas Carne and Jose-Manuel Villanueva em 2006, realiza vendas para o Brasil.

8. Criteo

Outra empresa que qualquer dono de uma ecommerce deve prestar atenção. O Criteo analisa o comportamento dos visitantes no seu site e produz banners conforme os gostos dos seus utilizadores, conseguindo gerar um maior número de vendas. Romain Niccoli, Jean-Baptiste Rudelle, Franck Le Ouay são os fundadores da empresa e começaram o negócio em meados de 2005.

9. Vente Privee

O Vente Privee funciona de um modo mais ao menos semelhante ao Privalia, mas dedicado a um nicho mais específico. Tal como o nome indica, este site criado por franceses comercializa produtos de moda, apostando em vendas com valor mais elevado. Todos os dias, e um horário definido, a marca põe à venda novos produtos para os seus utilizadores.

10. SoundCloud

O SoundCloud é uma plataforma online, com origem na Alemanha, e utilizada por grande parte dos profissionais da música. No site, os seus utilizadores podem criar músicas, colaborarem uns com os outros ou distribuir as suas composições. No entanto, o primeiro objetivo da plataforma não foi esse. Os seus fundadores Alexander Ljung e Eric Wahlforss queriam criar algo que ajudasse os profissionais da música a partilharem coisas entre si, mas acabou se tornando muito mais do que isso.

11. Kaspersky

É um dos antivírus mais conhecidos mundialmente. O site conta com vários utilizadores e ainda permite um scan grátis ao seu computador. O Kaspersky foi considerados um dos melhores produtos do ano pela AV. O negócio, que tem sede na cidade de Moscou, começou a ser projetado em 2007 por Natalia Kaspersky e Eugene Kaspersky.

12. Ozon

Mais um negócio proveniente da Rússia que tem feito um sucesso astronômico. Com o objetivo de aproveitar a grandeza do mercado russo, a Russian Software Company fundou o Ozon, um site bastante semelhante à Amazon, mas apenas dedicado àquele país. Tal como o negócio norteamericano, o Ozon comercializa os mais variados produtos como celulares, livros ou computadores. O projeto teve início em 1998.

13. Just-Eat

No artigo sobre as 7 startups brasileiras, falei em casos de sucesso como o Entregador, que ajudam os clientes a escolherem o prato que querem comprar, tratam de todo o processo de pagamento e fazem a entrega da comida, tudo através do próprio site. O Just Eat funciona mais ou menos da mesma forma, mas à escala mundial. O site já trabalha em 14 países (incluindo o Brasil) e tem parcerias com mais de 15 mil restaurantes. O projeto teve início em 2000 e Jesper Buch foi o principal responsável pela iniciativa.

14. Getjar

A Getjar é uma empresa que produz aplicações completamente gratuitas e que conta com mais de 2 milhões de downloads. A empresa distribui mais de 350 milhões de aplicações para Android e conta com 395 mil desenvolvedores registados no site. Apesar de ter um escritório em Silicon Valley, a marca teve o seu início na Lituânia pelas mãos de Ilja Laurs.

15. Wooga

A Wooga é mais uma empresa de jogos, mas que fez grande parte do seu sucesso à conta do Facebook. A marca desenvolveu cinco jogos para esta rede social: Brain Buddies, Bubble Island, Monster World, Happy Hospital e Diamond Dash. Ela foi fundada em 2009, na cidade de Berlim, por Patrick Paulisch, Jens Begemann e Phillipp Moeser.

16. Shazam

Esta é uma aplicação que conheci recentemente através de um amigo meu e que recomendo vivamente para quem gosta de música. Com certeza já lhe aconteceu estar escutando uma música no rádio e querer saber qual é o nome. Com o Shazam, todo esse processo ficou mais fácil. Basta colocar a aplicação a funcionar e ela automaticamente diz qual é a música que está no ar. A ideia, que começou a ganhar asas em 1999, é da responsabilidade de Chris Barton, Philip Inghelbrecht, Dhiraj Mukherjee e Avery Wang

17. Viadeo

Qualquer freelancer com certeza conhece o LinkedIn, visto que é uma das ferramentas mais eficazes para divulgar o seu trabalho. Mas na França está a surgir uma rede social que promete fazer-lhe concorrência: o Viadeo. Este site funciona exatamente da mesma maneira, mas tem conseguido evoluir graças ao seu design mais simples e arrojado. Até ao momento, estão inscritas 40 milhões de pessoas na plataforma.

Como pode ver, a Europa ainda continua repleta de grandes ideias de negócio. Apesar da crise, o mercado continua a aceitar a implementação de novos produtos, especialmente na área das aplicações e dos jogos. Isto porque são produtos sem fronteiras, que podem ser vendidos em qualquer canto do mundo. Com este artigo, espero que tenha ganho alguma inspiração para o seu trabalho e que não se deixe levar por momentos menos bons na sua empresa ou startup. Qualquer empreendedor vive situações menos motivadoras, mas a paciência e a dedicação tornam-se fundamentais se quiser ultrapassar esses períodos.

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.