Marketing Digital 24/06/2013

Redator freelancer: Como escrever um texto que impressione o seu cliente

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

A profissão de redator freelancer tem crescido muito durante os últimos anos e são imensas as oportunidades para quem quer começar a trabalhar nesta área. Apesar de tudo, alguns clientes ainda continuam a considerar esta profissão como um trabalho precário, cobrando muitas vezes valores irrisórios pelos textos escritos pelos freelas. Mas deixe-mos este ponto de lado, visto que já falamos sobre isso no post sobre quanto o redator freelancer deve cobrar. Neste artigo vamos explorar outro tema bem diferente: a boa escrita de um texto. É que apesar da procura ser elevada, acredito que apenas aqueles que realizarem um trabalho profissional e estiverem constantemente melhorando a sua escrita poderão trabalhar a tempo inteiro como redatores freelancers.

Infelizmente a internet tem sido inundada de aspirantes a redatores freelancers, dispostos a receber meia dúzia de reais em troco de um texto sem qualidade. Porém, isso é algo que não me preocupa, pois acredito que haverá sempre espaço para os profissionais de qualidade e quem realmente fizer um BOM trabalho terá sempre clientes procurando por ele.

O QUE O CLIENTE QUER?

Antes de pensar na estrutura básica de um bom texto (título, introdução, etc) é necessário pensar naquilo que o seu cliente quer. Quando ele entrou em contato com você, o que foi pedido? Qual a imagem que ele pretende transmitir no seu site? Porque mais do que pensar em escrever do seu jeito, é importante transmitir aquilo que o cliente quer. Se ele pretende que você escreva textos de aplicativos, por exemplo, a sua linguagem deve ser completamente diferente de um texto sobre imobiliário. Já um redator que escreva sobre dietas deve ter uma escrita diferente daquele que escreve sobre psicologia. Entendeu? Adaptar a sua forma de escrito ao nicho de negócio é o primeiro passo para conseguir trabalhar com aquele cliente durante muito tempo. 

Além disso, também é importante pensar em outras necessidades do cliente:

  • Número de palavras: se ele quiser um número X’s de palavras, ofereça sempre um pouco mais. Isso irá deixá-lo satisfeito.
  • Prazo de entrega: Escrever é sinônimo de tempo, organização e criatividade. Se você estiver o tempo todo “apertado” com prazos, não conseguirá ter bons textos. Por isso respeite os prazos do cliente e entregue os seus trabalhos com uma ligeira antecedência.
  • Imagens: Alguns clientes pedem que o freela insira imagens. Tenha cuidado para escolher imagens vistosas e que chamem a atenção.
  • Cuidado com a opinião pessoal: No caso de você não assinar os textos, funcionando num sistema de ghost writer, tenha cuidado com a opinião pessoal pois o cliente será responsável pela opinião escrita pelo freelancer.

FOCO NA ESCRITA!

A escrita de texto é das áreas que mais obriga o profissional a manter o foco. Isso evita que você cometa erros, tenha o seu raciocínio interrompido e ainda aumenta claramente a sua produtividade. Mas afinal, o que é ter foco enquanto escreve? Em primeiro lugar é ser monotarefa na escrita do texto, deixando de parte alguns culpados pelas suas interrupções como o email, Facebook, Twitter, etc. Escrita e redes sociais não combinam! Se estiver interessado em saber aquilo que as interrupções constantes fazem ao cérebro e à sua concentração, o melhor mesmo é dar uma olhada neste artigo.

O segundo significado do foco na escrita é a necessidade do redator focar apenas na janela em que está trabalhando, deixando de lado outros sites, aplicativos, etc. Existem muitos aplicativos que podem ajudá-lo a aumentar o foco na sua janela de trabalho, tal como explicamos no nosso texto sobre aplicativos para Mac.

PESQUISA DE TODA A INFORMAÇÃO

Agora que você já olhou para o seu ambiente externo (cliente e foco), chegou o momento de começar a pesquisar a informação para a escrita do seu artigo. A pesquisa de outros artigos é algo comum a todos os redatores pois serve para enriquecer o texto, adicionando informações que o próprio escritor desconhecia. Porém, existe uma diferença muito grande entre plágio e pesquisa de informação.

Plágio vs pesquisa de informação: O plagiador normalmente copia um texto ou então adapta o que foi escrito, alterando a ordem das palavras. Quem pesquisa informação utiliza essa informação para enriquecer o seu texto, colocando as referidas fontes nos seus artigos.

Mas como pesquisar informação? A pesquisa no Google é sem dúvida a estratégia mais comum mas existem outras igualmente eficazes. A primeira é a pesquisa de informação através dos Feed’s de notícias. Para isso basta pesquisar por sites interessantes relacionados sobre o tema e fazer a assinatura no seu RSS Feed. Atualmente faço isso com o Feedly e recomendo vivamente. A segunda que vou partilhar é a pesquisa em motores de busca diferentes, tais como o Yahoo ou o Bing. O fato da ordem da pesquisa ser completamente diferente quando comparada ao Google faz com que artigos extremamente interessantes sejam mais fáceis de serem encontrados.

Pesquisar e seguir pessoas no Twitter é também outra forma eficaz de conseguir mais informações. Os tweets são bastante atuais é é mais fácil conseguir informação “de última hora”. O Facebook também pode ser utilizado para conseguir informação, mas escolha bem quais são as páginas que vai seguir. Para isso basta ativar as notificações daquelas páginas que podem ser úteis para conseguir novas ideias. Dessa forma, cada vez que for realizada uma atualização receberá uma notificação na sua conta pessoal do Facebook. Já expliquei como fazer isso no artigo sobre como responder mais rápido às ofertas de emprego. Por último, subscreva as newsletters dos blogs que considerar mais interessantes. Recapitulando:

  • Organize os seus feed’s
  • Pesquise em outros motores de pesquisa sem ser o Google
  • Utilize o Twitter
  • Ative as notificações no Facebook
  • Assine newsletters

FAÇA UM MAPA MENTAL

A imagem que está a ver acima foi o Mapa Mental que organizei para este mesmo artigo. Desde muito cedo que me habituei a organizar o texto muito antes de começar a escreve-lo e aconselho que experimente fazer isso nas suas próximas postagens. É um hábito que demora pouco mais de dois minutos a ser realizado e que traz resultados extraordinários. Para isso basta que utilize uma simples folha de papel ou então use o MindMeister.

COMEÇANDO A ESCREVER…

Depois de cumprir os pontos anteriores (todos eles servem como preparação para o texto) chegou o momento de escrever o seu artigo. Agora é que você colocará em prática todos os seus conhecimentos enquanto escritor. Se por um lado é certo que a escrita é uma área criativa, também é verdade que a organização e estruturação do texto são partes importantes. Não existem textos bem escritos sem que os mesmos sigam uma linha orientadora.

TÍTULO

É a “chave” que vai despertar a curiosidade no leitor. Um texto, por mais apelativo que seja, não terá sucesso se o seu título não for apelativo. Para ajudá-lo, vou partilhar consigo alguns tipos de títulos que funcionam muito bem:

Estes são apenas alguns exemplos de títulos para um texto, mas se você tiver outros que resultem muito bem sinta-se à vontade para partilhar com os leitores nos comentários do blog. Contudo, tenha sempre cuidado com um pormenor: não engane os seus leitores. Se você prometeu um “guia passo a passo para..” ou um “tutorial super completo”, não escreva um texto com 500 ou 1.000 palavras. Um título que você ensina TUDO deve ser muito completo e conter muito conteúdo.

INTRODUZINDO O SEU TEXTO

A introdução é a parte do texto em que você “agarra” o leitor. O estudo que demonstramos logo abaixo foi realizado pela Nielsen e demonstra que a partir do momento que um texto tem mais de 111 palavras, apenas 50% dos leitores continua lendo. Como seria de esperar, quanto maior for a quantidade de palavras menos pessoas lêem até ao fim. Mas a grande questão é: como você vai fazer para que os leitores continuem além das 111 palavras? Uma boa introdução pode resolver o seu problema.

As pessoas normalmente não lêem os textos, elas apenas fazem uma pequena visita ao site. Claro que estamos falando de leitores não fidelizados, pois quanto maior a ligação que eles tiverem com o site maiores as chances de lerem todo o seu artigo. Uma boa introdução, em primeiro lugar, deve ter uma linguagem muito simples e pessoal. Aquela introdução chata e sem interesse, apenas para preencher conteúdo é algo do passado. Um bom redator convence o leitor a ler sempre o parágrafo seguinte. Vejamos algumas introduções que funcionam muito bem:

  • Seja pessoal, partilhando com o leitor algum problema, vitória ou situação que tenha acontecido na sua vida
  • Prometa algo aos seus leitores, contando para eles o que vão ganhar ao lerem o seu texto até ao fim
  • Justifique a escrita do seu post, explicando o motivo de você estar escrevendo este post (foi o que nós fizemos neste artigo)
  • Faça questões que levem o seu leitor a responder. Exemplo: “Ultimamente tem prestado atenção aos protestos no Brasil?” ou “Tem acompanhado o que está acontecendo na Escola Freelancer?”
  • Comece com algum contexto histórico de uma personagem famosa

A imagem em baixo representa bem os hábitos de leitura de grande parte dos leitores da internet. As zonas mais avermelhadas são as que os leitores mais olham. Viu como a introdução é importante?

E AGORA: COMO EXPLICAR A IDEIA?

É neste ponto que muitos redatores freelancers erram. Uma boa introdução e uma boa conclusão muitos conseguem, mas explicar bem aquilo que é necessário explicar é sem dúvida o mais complicado. O meu primeiro conselho é que divida a sua ideia em vários passos mais pequenos. Vamos ter como exemplo uma viagem de Portugal até ao Brasil e quais os pontos que poderíamos abordar:

  • Explique o motivo de ter saído de Portugal
  • Explique como saiu de Portugal
  • O que sentiu quando começou a sair do País
  • Como e quando você viajou
  • A sua visão sobre o País de destino
  • Desenvolva a sua viagem
  • Diga como chegou
  • Conte as suas primeiras impressões sobre o Brasil

O que fizemos nos pontos anteriores foi apenas dividir em vários pontos aquilo que a princípio seria um tema só: a viagem de Portugal para o Brasil. E isto serve para um texto sobre esporte, sobre tecnologia, negócios, etc. No fundo, é transformar algo maior em sucessivos passos mais pequenos. A esses passos mais pequenos nós vamos chamar de parágrafos. Quanto mais sucintos e empolgantes eles forem, melhor. Depois, para que um desenvolvimento seja sustentado, é necessário fazer uma ligação entre todos os parágrafos.

A melhor forma de você perceber se o seu desenvolvimento foi bem conseguido é pedir a outra pessoa para ler o seu texto. Ok, isso nem sempre é possível e por isso a melhor estratégia é você reler o seu texto e perguntar a si mesmo: “Expliquei tudo de forma coerente?”. Caso isso não aconteça, analise aquilo que escreveu, divida novamente em pontos mais curtos e perceba o que você deixou por explicar.

CONCLUINDO O TEXTO

A conclusão é, na minha opinião, uma das partes mais fáceis de qualquer texto. Com a ideia desenvolvida, você apenas precisa de terminar aquilo que já foi começado. O meu conselho é que faça sempre um pequeno resumo daquilo que foi escrito, reforçando a ideia e justificando ao leitor o motivo de ele fazer aquilo que você explicou. Por outro lado, a conclusão também tem como objetivo fazer com que o leitor participe no artigo, comentando ou apenas partilhando nas redes sociais. Na conclusão do seu texto o melhor mesmo é você pedir que façam alguma ação. Aqui vão dois exemplos:

  • “O que você achou deste tema? O que faria nesta situação? Deixe o seu comentário e conte-nos a sua experiência!”
  • “Se gostou do nosso post, considere partilhá-lo nas redes sociais, ajudando assim os seus amigos a serem mais (tema abordado durante o texto!”

Pedir não é garantia que eles façam algo, mas pelo menos você aumenta claramente as suas chances de ser bem sucedido.

REVISÃO DO ARTIGO

Este é o ponto que muitos profissionais deixam de lado mas ele é praticamente tão importante como todos os outros anteriores. O que adianta você estruturar bem o texto e escrever uma introdução se no final você apresenta erros? Para ajudá-lo, vou partilhar com você cinco estratégias que considero serem fundamentais na revisão do texto. Elas não garantem que você não cometa erros, mas diminuem claramente as chances desses mesmos erros acontecerem:

  • Analise as repetições: Quem escreve textos muito longos normalmente tem tendência a repetir palavras. A utilização do site Sporkforge pode ser uma excelente ajuda. Este site dá-lhe acesso ao número de vezes que cada palavra foi inserida, ao número de vírgulas que inseriu ou até mesmo se repetiu demasiadas vezes alguma palavra.
  • Qual o tamanho dos seus parágrafos?: As pessoas na internet gostam de ler durante pouco tempo e por isso necessitam de ver um texto bem estruturado para sentirem vontade de ler. Veja se os seus parágrafos estão curtos, de modo a cativar o leitor.
  • Use a regra dos 10/80/10: Por norma um texto deve ter 10% para a introdução, 80% para o desenvolvimento e 10% para a conclusão. Confira se o seu artigo cumpre essa estrutura.
  • Use o FlipO Flip é um excelente site para analisar erros e possíveis frases mal construídas. Utilizo-o sempre nos meus textos. Como é óbvio, ele deixa passar alguns erros mas consegue identificar a maioria.
  • Faça a sua revisão em cada parágrafo: Eu gosto de ter muito cuidado com a revisão dos meus artigos e por isso faço sempre uma análise mais pormenorizada. O último hábito que adquiri na revisão dos textos é o de analisar cada parágrafo individualmente.

CONCLUSÃO

A escrita de um bom texto é muito mais do que uma pequena junção de palavras. É a arte de comunicar sem falar, explicando através de letras aquilo que você poderia dizer pessoalmente. E tal como falar em público, escrever pressupõe algumas regras bem definidas. Claro que essas regras variam conforme o tipo de texto que você for escrever (texto jornalístico, texto criativo, etc), mas as que eu expliquei podem ser aplicadas na maior parte dos casos. Utilize-as e acredito que os seus textos terão uma qualidade muito melhor.

E você, que passos segue na escrita dos seus artigos? Partilhe connosco os seus hábitos de escrita.

Abraço,

Luciano Larrossa

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.


BAIXE AGORA
O Ebook que vai ensinar você a criar imagens poderosas para anúncios pagos nas redes sociais!

close-link