Marketing Digital 19/01/2012

10 motivos porque você não deve trabalhar como freelancer!

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Muitas pessoas têm o sonho de tornarem-se empresários de sucesso. Adoram a ideia de ter um negócio próprio, poderem ver os seus rendimentos aumentarem exponencialmente ou não terem um horário fixo. São tudo sonhos muitos perfeitos, mas que podem não passar de isso mesmo se o seu perfil para trabalhar enquanto freelancer não for o mais adequado. Infelizmente, nem todos temos uma personalidade que se adeque a este tipo de profissão. Por alguma razão, várias pessoas começam um negócio de freelancer ou iniciam um startup e passado poucos meses são obrigadas a encerrar a atividade. Voltam a tentar novamente, e o resultado é o mesmo: desistem passado poucos meses.

Na internet, é onde se vê acontecerem mais vezes estes tipos de situações. Os casos mais fulcrais são os blogs. Existe um número ínfimo de páginas em que você acesso no Google, mas no final vê que esse conteúdo já foi inscrito há vários anos e que o site já não tem continuação. Na web, estes casos são mais constantes porque o investimento é bem menor, levando muitos pseudo empresários a deixarem o seu emprego e trabalharem em casa. Recentemente, o Marcos Lemos escreveu um artigo sobre este tema, onde ele explica os motivos porque você não deve começar um novo blog, no qual realça bem alguns dos erros comuns que várias pessoas cometem.

Onde estarei errando?

É certo que falhar muitas vezes pode ser um caminho para o sucesso. Existem vários casos de empresários que não deram certo na sua primeira tentativa, mas que mais tarde conseguiram se reerguer e criar um negócio de sucesso. Mas isso significa que eles realmente conseguiram retirar algumas lições positivos daquela queda anterior. Por isso, se você teve o seu primeiro negócio e ele não deu certo, aconselho vivamente que volte a tentar novamente.

Contudo, existem alguns traços na sua personalidade que podem facilmente indicar se você tem tendência para o negócio. E é sobre isso que vamos falar hoje. A partir deste artigo, poderá fazer uma análise às suas características e tentar perceber onde está errando. Porque muitas vezes a culpa não é do seu produto nem do mercado. Ela é muitas vezes sua. Quer seja da sua rotina, forma de estar ou maneira de pensar. Pessoas de sucesso têm características em comum. Se você fracassou, talvez o problema esteja mesmo a nível pessoal. Preste atenção a alguns pontos seguintes e veja se eles podem estar presentes na sua personalidade.

preguiçoso

1. Falta de iniciativa própria

Num trabalho normal, é um chefe que lhe diz o que fazer. Enquanto jornalista, por mais iniciativa que eu tivesse na escolha dos temas que iria falar, tinha sempre o editor que aprovava ou rejeitava as minhas propostas. Este filtro entre a ideia e a passagem para a prática é um dos fatores que distingue as pessoas de sucesso daquelas que falham. Com certeza, pessoas como Bill Gates ou Gary Vaynerchuk têm várias ideias de negócio. Mas as que passam para a prática, são só aquelas que eles vêm que podem ter um forte impacto no público.

Enquanto freelancer ou empresário, você deve não só ter iniciativa, mas também a capacidade para avaliar a viabilidade dessa mesma iniciativa. Será que as pessoas precisam do que eu estou criando? Como vou rentabilizar a ideia? Como pretendo fazê-la crescer? Estas são apenas algumas questões que devem estar na sua cabeça. Seja proativo, mas depois filtre o que é ou não, viável.

2. Dificuldade em lidar com a solidão

Ter os seus melhores amigos no local de trabalho é algo normal. Muitas amizades, surgem das horas em que passa no seu escritório. Existem pessoas que só conseguem mesmo conhecer novas pessoas nos períodos laborais. Por isso, trabalhar como freelancer pode se considerar um objetivo quase impossível para quem tenha esse tipo de personalidade. Solidão e freelancer são quase sinônimos. São poucos os casos em que você encontra outro freelancer e consegue dividir um ambiente de trabalho com ele. Com o tempo, poderá construir uma equipa que o ajude e que conviva consigo. Mas o mais certo, é que nos primeiros tempos tenha que lidar com a solidão.

Mas como fazem os freelancers para conviverem? Em primeiro lugar, as redes sociais têm tido um papel determinante nestes últimos anos. É certo que o computador não substitui o contato pessoal, mas ajuda um pouco a amenizar esta falta de conversa com alguém no dia-a-dia. Depois, outra das coisas que qualquer freelancer pode fazer para se sentir menos isolado é ser mais produtivo. Por um lado, fazer as tarefas mais rapidamente obriga a que esteja mais focado e com isso acaba por não ser sentir tanto esse isolamento. Por outro, se fizer as tarefas no prazo que se propôs, ficará com mais tempo para no final do dia para jogar futebol com os amigos ou ir beber um café. Também cabe ao empresário encontrar formas de combater este problema.

3. Pouco exigente

Ao longo das profissões que tive, fui conhecendo vários profissionais. Alguns mais exigentes, outros nem por isso. Mas uma coisa eu reparei: aqueles que alcançam o sucesso são aqueles que pedem sempre mais. Geralmente, uma pessoa de sucesso não fica contente com aquilo que vê pela primeira vez. Há sempre um pormenor que fica por melhorar ou uma vírgula num texto que ficou por colocar.

Enquanto freelancer, a exigência naquilo que você faz deve ser sempre máxima. Contentar-se apenas em cumprir as tarefas é o primeiro passo para cair no insucesso. Quer aumentar os seus rendimentos? Então não se contente em fazer apenas melhor que os outros. Tente ser sempre muito melhor que os seus concorrentes. No livro de Steve Jobs, acontece uma situação bastante caricata. Para terminar o Apple II, o ex-CEO da Apple necessitava de um tom de bege para colocar no invólucro do computador. A empresa que normalmente trabalha com a Apple, apresentou dois mil tons de bege. Entre este grande número de tons, Jobs não gostou de nenhum. Este é um pequeno exemplo de exigência que existe nas cabeças das pessoas de sucesso. Não digo que você tenha de ser tão excêntrico a tomar opções, mas também tenha o cuidado para não ser demasiado permissivo.

4. O dinheiro é a sua motivação

É óbvio que todos nós pensamos em aumentar os nossos rendimentos quando criamos um negócio próprio. É compreensível que essa seja uma das suas motivações. Contudo, ela não deve ser a única que o leva a arriscar. Antes deste objetivo, devem estar muitos outros. Vejamos alguns:

  • Ser um melhor profissional
  • Criar um produto de qualidade
  • Conseguir se destacar no mercado
  • Ter um índice de produtividade
  • Agradar aos seus clientes

Estas são apenas algumas das motivações que devem estar antes da rentabilização de qualquer trabalho. Outro dos erros é pensar que o dinheiro pode surgir de uma forma rápida. Qualquer freelancer de sucesso, trabalhou muito duro para chegar onde está. Promoveu o seu trabalho, cumpriu os prazos com os clientes ou renovou os seus conhecimentos. Estes são tudo hábitos e conquistar que levam anos a ser conseguidos.

5. Falta de organização

É certo que a organização é fundamental para qualquer trabalhador. Mesmo quem varre as ruas, necessita de saber o que está fazendo e para onde vai. Mas para quem tem o seu próprio negócio, a organização torna-se um fator crucial. Quando não se tem horário para levantar ou deitar, torna-se demasiado fácil ceder à tentação de ficar um pouco mais na cama ou ficar saindo para a balado com os amigos. Se pensa que o freelancer trabalha apenas quando quer, o melhor é desistir da sua ideia de começar esse tipo de negócio. Profissionais com experiência, sabem que este estilo de vida muitas vezes pode ser mais exigente do que um trabalho das nove às cinco. Para perceber um pouco melhor se você é organizado o suficiente, responda a algumas destas questões:

  • Consegue levantar cedo mesmo sem ter um horário para entrar?
  • É capaz de cumprir prazos com regularidade?
  • Gosta de trabalhar por antecipação ou você é daqueles que apenas produz quando está sob pressão?
  • Tem capacidade para organizar o seu dia e cumprir aquilo que planejou?
  • Consegue dizer não a muitos dos convites que fujam do seu objetivo principal ou tem dificuldades em negar um convite para ir beber café?
  • Normalmente, tem a sua casa organizada ou ela é uma autêntica confusão?
  • Quando está na internet, consegue diferenciar o trabalho do divertimento?

Você pode imaginar que é fácil, mas quando passar a gerir o seu próprio dia, verá as dificuldades que é ser o seu próprio chefe. Se está com dúvidas em responder a estas questões, talvez seja melhor repensar na sua opção de trabalhar como freelancer.

agora mais tarde

6. Sem uma ideia concreta do que pretende começar

Como referi anteriormente, pensarmos nas nossas motivações exteriores é algo normal. O dinheiro ou a liberdade de horário, são tudo argumentos que nos levam a iniciar a carreira de freelancer. Contudo, uma pergunta fica sempre por responder: o que vou fazer realmente? Antes de mais, você tem de escolher o que pretende ser realmente. Jornalista, fotógrafo ou web designer. Todas as opções são válidas, desde que você encontre uma justificação para elas. Tal como no mundo das apostas, em que você necessita de justificar cada opção que toma, no negócio de freelancer também é importante que você encontrar uma justificação plausível.

O melhor, será mesmo fazer uma análise SWOT ao seu negócio. Responder a estas perguntas, ajudam-no a dar uma noção concreta daquilo que pode fazer e do que precisa de melhorar. Começar apenas porque não está satisfeito com o seu emprego atual diminui drasticamente as suas possibilidades de ser bem sucedido.

7. Má gestão das finanças pessoais

Um freelancer necessita de ser um pouco de tudo: dono de casa, gestor de finanças, marketeiro, blogueiro, entre outras coisas. É esta necessidade de aprender de tudo um pouco que torna a profissão de freela algo tão motivador. No entanto, as finanças pessoais é um dos pontos que você deve ter bastante cuidado. Isto porque um trabalhador independente nunca tem um salário fixo. Durante uns meses tem um bom número de clientes e consegue ganhar dinheiro, enquanto em outros parece que ninguém se lembra de você. Por isso, uma boa gestão financeira torna-se essencial, principalmente na fase inicial. Se quiser saber um pouco mais sobre este tema, aconselho a leitura do nosso artigo sobre as 12 dicas para melhorar as suas finanças pessoais enquanto freelancer.

8. Pouca capacidade para fazer “horas extras”

Ter a capacidade de controlar o nosso tempo de trabalho é uma vantagem enorme. Não existe nada mais chato do que ter de ficar aquelas duas horas no trabalho, mesmo que não tenha nada para fazer. Como freelancer, quando o trabalho está concluído você pode descansar. Contudo, o contrário também acontece: muitas vezes o trabalho é tanto, que é necessário você fazer horas extra. Ter capacidade para fazer estas tarefas, mesmo contra a sua vontade, não é algo fácil. Antes de iniciar a sua carreira como freelancer, tente analisar se é capaz de ter jornadas de trabalho de doze horas ou se é daqueles que prefere deixar o trabalho por concluir, pois não gosta de trabalhar mais de oito horas por dia.

9. Falta de vontade para aprender

Como referi acima, um freelancer necessita de estar constantemente a renovar os seus conhecimentos. Os seus clientes são exigentes, querem sempre receber as últimas novidades. Até sobre assuntos como mídias sociais você necessita de estar por dentro, de forma a promover o seu trabalho de um modo eficaz. Por isso, estes profissionais necessitam de ter vontade de aprender sempre mais.

Um bom profissional precisa de estar constantemente a adaptar-se às mudanças. Não basta apenas ter um curso ou uma licenciatura e pensar que já sabe tudo sobre essa área. Grande parte do seu conhecimento vem depois disso. Dos livros que lê, das palestras que assiste ou dos blogs que acompanha. E como freela a sua vida terá que ser sempre assim. Uma insatisfação constante e uma vontade de querer saber sempre mais um pouco sobre a sua área.

10. Tem dificuldades em conseguir motivação

Trabalhar com um negócio ou startups não é algo fácil. Além do tempo que é necessário para uma ideia começar a tornar-se lucrativa, ela pode ter altos e baixos. É importante, enquanto freela, perceber que isso faz parte do seu dia-a-dia. Existem momento em que os clientes o vão procurar mais vezes, enquanto em outros isso não vai acontecer. Nesse períodos, é determinando que mantenha a sua motivação para trabalhar. Quando o seu negócio estiver “em baixo”, é importante reagir e não se deixar ir abaixo. Analise e veja bem se consegue manter a sua motivação no topo, mesmo quando as coisas não acontecem do modo como pretendia.

Todos estes pontos que referi acima, dão-lhe uma boa base para saber se você é ou não uma boa pessoa para trabalhar enquanto freelancer. É certo que existem pessoas que conseguem ser desorganizadas e ter sucesso ao mesmo tempo. Contudo, elas compensam a sua falta de rigor com um talento especial para o negócio. Analise bem e veja se, mesmo que cometa alguns erros que estão referenciados no artigo, consegue se afirmar no mercado.

Ter este cuidado e ponderação na hora de começar um novo estilo de vida é determinante. É um passo importante e que deve ser dado com cuidado. Mais vale um passo bem pensado e seguro, do que um precipitado e que o obrigue a passar por uma fase negativa na sua vida.

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.

BAIXE GRÁTIS O EBOOK "CHECKLIST PARA FACEBOOK"
Os primeiros passos com sua página no Facebook.

Checklist para facebook
close-link