Facebook Avançado 25/07/2017

Facebook adquire startup e isso pode ajudar criadores de vídeos a ganharem dinheiro

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Se não tem utilizado os vídeos do Facebook para monetizar sua Fan Page por conta da facilidade de ter seus conteúdos pirateados, uma nova aquisição da plataforma pode fazê-lo mudar de ideia. O Facebook pode começar a pagar conteúdo aos autores originais e para isso adquiriu a startup Source3, especializada em em catalogar e reconhecer propriedade intelectual de produtores de conteúdo. A aquisição inclui a tecnologia e a equipe da empresa, que já fechou suas contas nas redes sociais e publicou um anúncio em seu site.

Na nota, os quatro integrantes da startup mencionam a missão da empresa no reconhecimento de propriedades intelectuais na área de moda, música, esportes e entretenimento, construindo uma plataforma dedicada a isso e estreitando relacionamentos com diversas marcas. Nenhum detalhe sobre a aquisição pelo Facebook é comentado, mas explicam que estão transferindo sua própria propriedade intelectual, marca e conhecimento para o Facebook e seus usuários.

Essa não é a primeira empreitada dos fundadores da Source3 na área de propriedades intelectuais. O site Recode revelou que dois de seus cofundadores já haviam criado uma plataforma especializada na indústria musical chamada RightsFlow, vendida ao Google em 2011. A startup foi fundada em 2014 para proteção de direitos de propriedade sobre impressões 3D e em 2015 captou $4 milhões em investimentos. Agora, a Source3 deixará de existir e se mudará para o escritório do Facebook em Nova Iorque. Um fluxograma publicado no TechCrunch explicou como a tecnologia da empresa funciona.

Como a tecnologia da Source3 pode ajudar a evitar roubo de conteúdo

facebook-pode-pagar-conteudo-fluxo

Primeiro, o produto – seja ele um vídeo, texto ou música – passará pela tecnologia de reconhecimento da Source3, que irá cruzar suas informações com o banco de dados da plataforma. A partir daí, quatro resultados podem ser demonstrados:

  • Adicionar à fila de licenciamento: O conteúdo não possui licenciamento prévio e é adicionado à fila de análise para que sua autoria seja reconhecida;
  • Propriedade intelectual existente: O conteúdo já possui registro, mas não se encontra bloqueado para uso;
  • Conteúdo não aprovado: O conteúdo já possui registro e seu autor bloqueou o conteúdo;
  • Não é propriedade intelectual de terceiros: O conteúdo não é de autoria de terceiros.

Como o Facebook pode pagar conteúdo adquirindo uma startup?

O investimento do Facebook na aquisição da startup – os detalhes da negociação não foram revelados – vai de acordo aos esforços feitos pela rede social para trazer mais produtores de conteúdo para sua plataforma. Há dois anos atrás foi lançado o Rights Manager, programa semelhante ao Content ID do YouTube.

facebook-pode-pagar-conteudo-rightsmanager

O programa permite a produtores de conteúdo catalogarem e protegerem suas criações, bloqueando ou permitindo a utilização por outras Fan Pages e perfis. É possível que a aquisição da Source3 tenha acontecido justamente para melhorar a qualidade da plataforma. Em abril, o Facebook incluiu uma medida que dá a produtores de conteúdo original duas opções para lidar com o uso não autorizado de suas publicações: bloqueá-los ou receber uma fatia do rendimento gerado pelos anúncios nesses vídeos piratas. Ou seja, o Facebook pode pagar conteúdo desde já, mas a absorção da startup poderá melhorar a verificação dos conteúdos publicados na rede.

Além da aquisição, o Facebook revelou em maio desse ano que tem feito negócios com sites como Buzzfeed e Vox Media para criação de vídeos longos ou séries exclusivas, como revelado pela Fortune. Já no final de junho, o Facebook também anunciou um novo app dedicado à produção de conteúdo em vídeo. Para ajudar produtores a criar vídeos e transmissões ao vivo mais profissionais, o Live Creative Kit terá ferramentas para facilitar a interação com os fãs no Facebook ou Instagram, além de ferramentas para análise de métricas, entre outros. O Live Creative Kit ainda não é o nome oficial do app, que também não tem data de lançamento revelada.

Ou seja, a aquisição da Source3 pelo Facebook parece um passo natural para atrair mais conteúdo original em vídeo para os feeds do Facebook. Com uma tecnologia para melhorar o reconhecimento de propriedade intelectual, o Facebook parece aparar uma aresta que a plataforma tinha dificuldade em cobrir, mas que é um critério importante para produtores de conteúdo profissionais migrarem de mídia social.

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.