Marketing Digital 13/09/2011

9 empresas que começaram os seus negócios numa garagem!

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Como tem reparado, alguns dos meus últimos textos têm sido dedicados às startups e a todas as empresas que tenham começado do nada mas que hoje em dia estejam num patamar invejável, tomando conta de um mercado que há alguns anos se poderia considerar impossível de dominar. Mas faço isto com que objetivo? No fundo, quero que todos os freelancers retirem aquelas ideia de que para se começar a criar algo nosso (seja uma empresa ou um negócio de freelancer) é necessário que se perca um pouco esse medo de não ter dinheiro ou não ter condições para começar algo que, dentro de alguns anos, possa ter algum valor.

Até porque essa limitação está muitas vezes mais na nossa cabeça do que em qualquer outro local. Isto porque desde pequenos somos acostumados a pensar que conseguir ganhar dinheiro ou angariar dinheiro é apenas para “os outros”. Vou lhe dar o exemplo de nove empresas que tenha iniciados o negócio numa garagem e que hoje sejam uma referência na sua atividade e movimentando milhões de dólares.

1. Amazon


Jeff Bezos começou a Amazon em 1994, mais propriamente em Bellevue (Washington). Contudo, a sua primeira venda apenas aconteceu em 1995. Quando ninguém acreditava no potencial da internet, este empresário percebeu logo cedo que o fato de não ter uma limitação física seria uma vantagem imensa relativamente às livrarias normais. Mas a ideia dos livros surgiu depois de fazer uma pesquisa sobre os hábitos dos norte-americanos e ter verificado que o comércio de livros era o segundo produto que maior sucesso poderia ter na internet.

Outra das conclusões de Jeff Bezos chegou foi que o catálogo seria a única forma de vender livros por correio, mas a verdade é que fazer catálogos que tornassem possível esse negócio seria algo impossível, visto que o catálogo seria tão pesado que seria impossível enviá-lo pelo correio. Já com a internet, esse problema ficaria resolvido. Mas até para divulgar o seu trabalho Jeff Bezos foi inovador: convidou 300 pessoas entre amigos e conhecidos para testar o novo site, pedindo apenas que divulgassem a outras pessoas que conhecessem. Em 30 dias a Amazon vendeu para 50 estados norte-americanos e 45 países.

2. Apple


Em 1976, Steve Jobs e o seu sócio Steve Wozniak eram dois jovens apaixonados por inovação. Faziam parte de um grupo que montava seus próprios computadores de forma bastante inovadora para a época. E tal como todo o bom estudante, foi em um dormitório de faculdade, na Califórnia, que o projeto da Apple começou a ganhar asas, trazendo à tona o Apple I, projeto de um computador bastante avançado para a época, mas que foi recusado por empresas já consolidadas, como a Atari e a HP.

Apesar de não ter sido um grande sucesso na época (custava cerca de 600 dólares), o projeto deixou os jovens empresários com vontade de continuar a trabalhar na área dos computadores. Essa motivação levou os dois sócios a produzir o próximo computador: o Apple II. A partir daí foi trabalhar até chegar à companhia de tecnologia mais valiosa do mundo.

3. Disney


Tudo começou em 1923, quando Walter Elias Disney começou a trabalhar na garagem do seu tio, criando o primeiro estúdio da Disney. Foi nesse local que começaram a filmar a “Alice no País das maravilhas”, da qual alguns trabalhos naquela mesma garagem deram origem ao filme original. Mais tarde, Walt Disney contactou a empresa M.J. Wrinkler dizendo que o seu estúdio de animação tinha diversos filmes para vender. Wrinklers não só aceitou a oferta, como também aceitou pagar 1.500 dólares por cada filme.

4. Google


Esta seja talvez das histórias mais conhecidas pela internet. Larry Page e Sergey Brin, em 1996, verificaram que os motores de busca daquela época funcionavam de um modo pouco prático e decidiram criar algo que tornasse mais agradável a pesquisa de informação na web, começando o Google numa garagem, na Califórnia. Chamaram a esta nova tecnologia o PageRank, que colocava os sites nas primeiras páginas conforme um grande número de fatores, tornando mais fiável a busca por qualquer assunto. Mas tal como todos os negócios na internet nesta altura, o Google precisava de financiamento. E o primeiro investimento surgiu e 1998, quando Andy Bechtolsheim investiu 100 mil dólares nestes universitários aventureiros.

5. Harley-Davidson


Em 1903, Arthur Davidson e Williams S. Harley resolveram por em prática todo o amor que tinham sobre o desenho de peças no seu próprio negócio, resolvendo instalar, dentro de uma garagem escura, um motor numa bicicleta. Contudo, a primeira experiência não se desenvolveu como esperavam, sendo o motor demasiado fraco para gerar uma meio de transporte. Mas os dois grandes génios não desistiram e voltaram a tentar, criando um motor mais potente. Com isto e depois de várias tentativas e falhanços, criaram a lendária Silent Gray Fellow (a primeira mota da Harley-Davidson). Na época, foram construídas três cópias.

Com o objectivo de melhorar os seus conhecimentos, William S. Harley se inscreveu na faculdade de Wisconsin. O investimento em conhecimento ajudou-o a criar um motor melhor, conseguindo em 1906 criar 50 exemplares das oficinas Harley-Davidson, iniciando uma das mais conceituadas marca de motas de sempre.

6. Hewlett-Packard


Tudo começou em 1939. Bill Hewlett e David Packard criaram um produto de oscilador de áudio, um instrumento muito utilizado por engenheiros de som para fazer testes. O custo de investimento para montar o negócio na garagem foi de 538 dólares, sendo um dos primeiros clientes do negócio a própria Walt Disney. Contudo, foi apenas em 1960 que a HP entrou no ramo da informática, sendo que o primeiro computador foi apenas construído para necessidades internas. Mas pela primeira vez, em 1072, a HP fabricou o seu primeiro produto para venda no exterior: um microcomputador destinado a empresas.

7. Lotus


Colin Chapman começou o seu negócio de carros nos arredores de Londres em 1947, quando ainda era um estudante universitário. A base para a construção do veículo foi o chassi de um Austin 7, que teve como objetivo inicial a competição e o sucesso nas corridas foi imediato. Devido ao enorme sucesso, associou-se a Michael Allen e Nigel Allen, dando início à marca Lotus, em 1952. Nesse mesmo ano foi lançado o primeiro modelo para o mercado.

8. Mag-Lite


O percurso de Tony Maglite é bastante interessante. Em 1950 e devido à guerra na Croácia, ele foi obrigado a se mudar para os Estados Unidos, apesar de não saber falar inglês. Apesar das dificuldades, conseguiu um emprego precário, no qual aproveitou para juntar algum dinheiro que mais tarde seria investido no seu próprio negócio. Quando iniciou alguns trabalhos na sua garagem, Tony começou produzindo alguns parafusos. Apenas em 1979 teve a ideia de incorporar uma lâmpada, começando o negócio das lanternas Maglite.

9. Mattel


É a marca que está por trás do desenvolvimento da tão conhecida Barbie. Ruth Handler, o seu marido Elliot e o amigo do casal Matt Matson iniciaram o negócio em 1945, com a produção de bonecas na garagem, mas foi em 1959 que o sucesso começou, com a produção de uma boneca tridimensional que mais tarde veio dar origem à Barbie. Com o passar do tempo, a “família” de bonecos aumentou, tornando a Mattel uma das melhores empresas na produção de brinquedos para crianças do mundo, faturando todos os anos 5 bilhões de dólares.

Estas histórias ajudam-no a acreditar que é possível?

Conhecer histórias de empresas que tenham começado numa garagem é sempre inspirador para quem queira começar a carreira de freelancer ou iniciar o próprio negócio. Ver casos de sucesso ajuda a que se quebre aquela barreira psicológica de que apenas os “outros” são capazes de vender no mundo dos negócios. Como pôde ver, com estas nove histórias que lhe mostrei, todos eles acreditaram que poderiam ter sucesso, mesmo começando em tão poucas condições, como uma garagem.

Como pôde também verificar, muitos demoraram vários anos (por vezes décadas) até que atingissem o sucesso. Muitos outros, como foi o caso da Disney, tiveram quase na falência, mas conseguiram se recuperar e dar a volta por cima. Acima de tudo, quem quer vencer no mundo dos negócios deve ter uma atitude de “acerto/erro”. Tentar e tentar, entender porquê errou, e fazer de um modo diferente. No fundo, é eliminar as opções erradas até encontrar uma certa, que o leve ao sucesso. E isso requer paciência, mas essa é uma das razões porque nem todos os empreendedores conseguem atingir o topo.

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.