Marketing Digital 17/05/2011

9 dicas para trabalhar como fotógrafo freelancer

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Trabalhar como freelancer abrange várias áreas. Entre as quais as de fotógrafo freelancer. Hoje vou dar aos leitores algumas dicas de como poder iniciar-se e ter sucesso nesta profissão. Mas este artigo não seria possível se não tivesse contado com a ajuda do conceituado fotógrafo Carlos Rodrigues, que me deu algumas dicas de como ter sucesso nesta profissão que conta com cada vez mais apaixonados. Portanto preste atenção às próximas dicas de alguém que conhece este mundo como poucos em Portugal.

Com certeza a primeira coisa que deve se preocupar é como iniciar esta carreira. Que material devo utilizar? Como faço para conseguir mais clientes? Está tudo neste artigo. Mas vamos aos passos iniciais. Veja o que deve ter para iniciar a sua carreira de fotógrafo:

  • Uma máquina fotográfica. Não necessita de ser das mais evoluídas, pelo menos no início da sua carreira de freelancer. Com o tempo terá que investir num material melhor
  • Software de edição de fotografia. O mais aconselhado é mesmo o Photoshop. No entanto, na internet poderá encontrar vários gratuitos. Ficam aqui o link de alguns: Photoscape, The Gimp, Photofiltre, Photo!editor, Magicfunpixmaker, Shutterfly Studio, Cartoonist
  • Um bom computador portátil
Dica: Se quiser começar a sua carreira de fotógrafo da melhor forma, dê uma olhada no nosso ebook Ser Freelancer clicando aqui

Como pode reparar, o investimento no material ao início não é muito. Mas de qualquer forma, e se você for tendo sucesso, o mais certo é que o investimento aumente com o passar do tempo. Contudo, estes são apenas os primeiros passos para se iniciar nesta carreira de freelancer. Agora que já temos o material, podemos passar ao trabalho. A primeira questão que fica no ar é:

1. Devemos cobrar pelos primeiros trabalhos?

A resposta é um redondo sim. E as explicações para esta afirmação são bastante óbvias. A primeira prende-se com o fato de ter que cobrir as despesas. Em momento algum da sua carreira de freelancer deve pagar para fazer o trabalho a outras pessoas. Pelo menos cobre o que você gastou de gasolina ou em alimentação. Mas também é importante que explique isso ao seu cliente. Diga que está em início de carreira e que este preço serve apenas para pagar as despesas. Ao esclarecer isto, ele ficará a saber que você não será para sempre um fotógrafo freelancer “em saldos” e para que se dentro de alguns meses cobrar um pouco mais, ele saiba que isso faz parte da sua evolução.

Outra das razões porque deve cobrar serve para dar ao valor ao trabalho que você desenvolveu. Se fizer tudo de graça, o mais certo é que o cliente não dê muita atenção ao que está fazendo. O fato de ter gasto dinheiro consigo já o leva a olhar para si com outros olhos.

2. Especialize-se em duas áreas no máximo

Agora que já tem material e já sabe quanto vai cobrar, está no momento de pensar em que área se vai especializar. Aconselho que dê prioridade a duas. Isto porque entramos na mesma lógica qualidade versus quantidade. Se você trabalha em várias áreas o mais certo é que aprenda um pouco sobre todas elas mas muito pouco sobre uma. Se sabe menos, a tendência será sempre a de receber menos. Os ramos a que se pode dedicar podem ser vários como o desporto, a moda ou a publicidade. A tendência inicial será sempre a de entrar na área da moda, visto que é a mais fácil de começar a trabalhar pois qualquer amigo ou desfile informal poderão servir para ganhar experiência.

3. Dê-se a conhecer

Existem várias formas de começar a promover o trabalho de freelancer. A mais simples dela é ter o seu próprio site. Mas como isso implica algumas despesas e na fase inicial convenhamos que o dinheiro não será muito, o melhor é mesmo inscrever-se em sites nos quais possa mostrar os seus trabalho. Ficam aqui alguns que pode utilizar:

Nestas plataformas, tem oportunidade de dar o seu trabalho a conhecer. No entanto, mal possa arranque com o seu site próprio. Dá um aspeto mais profissional e com certeza irá deixar os seus clientes mais satisfeitos.

4. Formas de pagamento

Tal como em todas as áreas de freelancers, o pagamento é sempre um problema. E a área da fotografia não é excepção. Mas para que perceba melhor, existem três formas de pagamento:

  • Pagamento por peça. O fotógrafo desloca-se a um determinado local (um casamento por exemplo) e recebe por dia
  • Pagamento por venda de cada fotografia
  • Pagamentos mensais trabalhando quase de modo fixo para uma edição ou para várias, recebendo um valor fixo por mês

Contudo, os pagamentos nem sempre são feitos a tempo e horas. O pagamento por peça normalmente é o maior problema, tendo empresas a pagar apenas ao fim de 60 dias. Nestas situações não existem muitas soluções. A melhor mesmo será, quando já tiver alguma experiência, aceitar trabalhar apenas com aquelas empresas que lhe garantem confiança e pagamentos dentro do período acordado.

5. Como angariar clientes?

Além da sua página própria ou dos sites de divulgação de imagens nos sites que referi acima, você pode fazer um pouco mais. Uma das formas é enviar fotografias suas em PDF para futuros clientes ou mesmo para aqueles com que já trabalhou. Esta é também uma das formas de manter o seu portfólio atualizado. Como afirmou o Carlos Rodrigues enquanto estava à conversa comigo, “é importante recordar aos clientes o trabalho que temos feito, sendo que o envio-lhes um email de dois em dois meses. Agarro num documento em PDF com as últimas novidades e envio”. Um simples clique pode fazer a diferença. Outra das formas é estar atento ao que acontece e enviar emails para eventos e verificar se eles não necessitam de um fotógrafo freelancer. No entanto, a melhor forma de divulgação do trabalho freelancer apenas depende de si e da qualidade do seu trabalho: a publicidade boca a boca.

6. Direitos das fotografias

Infelizmente vemos o trabalho profissional de muitos fotógrafos ser menosprezado com sites e canais de televisão a utilizarem as suas fotografias sem referirem o autor. Alguns apagam até mesmo a identificação. A melhor forma de se precaver para este tipo de situações é colocar uma marca de água nas suas fotografias com o seu nome. É claro que existem sempre o risco de serem apagadas. Portanto, quando maior ou mais complicada de se tirar, mais eficazes serão.

Existem alguns fotógrafos freelancers que não gostam de as utilizar visto que pode estragar a beleza da fotografia. São opções. Outra das formas de tentar manter a legalidade das suas fotos é ter alguma entidade que proteja os seus direitos. Em Portugal, existe a sociedade portuguesa de autores. Para isso basta inscrever-se a cada vez que quiser registar as suas fotografias paga 70 euros pelo pacote.

7. Escritório: ter ou não ter?

Trabalhar como fotógrafo freelancer não exige automaticamente que tenha um escritório próprio. Contudo, deve reservar um local em sua casa de modo a que não seja constantemente interrompido por membros da sua família ou cair na tentação de ver um pouco de televisão. É importante que tenha um local sossegado na sua casa onde possa fazer o tratamento das suas fotografias sem ser perturbado, de modo a não prejudicar a sua produtividade.

8. Bancos de imagens: outras formas de ganhar dinheiro

Como o dinheiro não vai abundar nos primeiros meses desta profissão, uma das boas formas de começar a ganhar algum capital é colocar as suas fotografias em bancos de imagens. Neles, poderá deixar os seus trabalhos para que posteriormente possam ser adquiridos. A maioria dos sites paga cerca de 10% cada venda. Sendo a maioria das fotografias vendidas com custos muitos baixos, é verdade que o leitor poderá dizer que irá ganhar muito pouco. Mas também é certo que a fotografia pode ser vendida várias vezes, aumenta os seus ganhos.

Uma das coisas que poderá fazer para aumentar as probabilidades de vender é adicionar a sua fotografia às características corretas e colocar uma descrição que chame a atenção do possível comprador. Estas atitudes podem garantir a sua venda num mercado tão concorrido como este. Vender imagens em bancos de dados pode ser uma boa forma de começar a juntar algum dinheiro para investir no seu material. Veja abaixo alguns bancos de dados que lhe podem ser úteis:

9. Aprenda sempre mais

Tal como em todas as profissões de freelancer, aprender sempre mais também deve ser uma característica dos fotógrafos freelancers. Procura vídeos no Youtube sobre as últimas novidades sobre o Photoshop ou leia ebooks relacionados com fotografia. Manter-se atualizado para conseguir tirar o melhor partido das suas fotografias é importante. Carlos Rodrigues confessou que perde “algumas horas dos seus dias a aprender mais alguma coisa”. Faça você o mesmo. Até porque no mundo da fotografia estão sempre a acontecer coisas novas todos os dias.

Está pronto para se tornar um fotógrafo freelancer?

Tal como todas as profissões de freelancer, trabalhar como fotógrafo não é uma tarefa nada fácil. Isto porque a concorrência é feroz e hoje em dia qualquer um pode agarrar numa máquina e começar a tirar fotografias. A única forma que o leitor terá para se destacar é melhorar a qualidade e seguir algumas das dias que temos acima. Mas antes de finalizar este artigo, gostaria mais uma vez de agradecer ao Carlos Rodrigues por ter se disponibilizado para ajudar os nossos leitores.

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.

BAIXE GRÁTIS O EBOOK "CHECKLIST PARA FACEBOOK"
Os primeiros passos com sua página no Facebook.

Checklist para facebook
close-link