Marketing Digital 14/01/2011

10 desculpas habituais para não fazer carreira como Freelancer (Parte II)

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Depois de termos ontem mostrado aos leitores quais as cinco principais desculpas que as pessoas utilizam para não fazerem carreira como freelancer, prosseguimos hoje com a segunda parte do artigo. Espero que o leitor com o texto de ontem tenha percebido que as desculpas são a maneira mais fácil de evitar que inicie algo que pode mudar a sua vida e que por isso deve evitá-las ao máximo. É muito melhor manter-se quieto no seu canto e lamentar-se de tudo o que acontece e da sua sorte do que realmente construir um negócio. É assim que a mente humana funciona.

Por isso aconselho que agora (sim nos próximos minutos) termine de ler o meu texto e comece a iniciar o seu negócio. Não tenha medo e vá em frente. Os comentários que geraram o primeiro artigo são sinônimo de isso mesmo. Neles, os leitores, a quem desde já agradeço a motivadora participação, deram os seus exemplos. Demonstraram que todos eles no início do seu negócio já tiveram os seus medos e preocupações, mas que preferiram não transformar os seus receios em desculpas. Optaram por seguir em frente e acreditar nos seus sonhos. Portanto, se se identificar com algumas destas outras cinco desculpas que vou dar a seguir, compreenda que elas são normais de acontecer, mas que nunca devem ser impedidoras de nada.

Desculpa número 6: Estamos em crise

Esta está na moda, principalmente em Portugal. “Eu gostava de investir no meu negócio mas ninguém tem dinheiro neste momento”. Das frases que mais se ouve hoje em dia pela boca daquelas pessoas que dizem querer ser freelancers mas que começam da maneira errada ao tomar esta atitude. É verdade que os tempos estão difíceis para todos. Mas o mais certo é que algum dia terá que acabar. As crises são boas para se revelarem os melhores. É a sobrevivência do mais forte. É a teoria de Darwin aplicada aos negócios. Para muitos especialistas, este não é o pior momento para apostar no seu próprio negócio, mas sim o melhor!

Eu explico-lhe porquê. Como afirmei, nestes momentos as melhores empresas ou os freelancer de excelência continuam o seu negócio, com maiores ou menores dificuldades, enquanto os mais limitados acabam por ficar pelo caminho. Se você entrar no mercado neste momento, aquela concorrência inicial que é sempre dada pelos freelancers mais fracos, não existe. Você está livre para crescer no seu início, satisfazendo os clientes que abandonaram esses trabalhadores mais fracos.

Além disso, quando a economia voltar ao seu normal, o que acontecerá mais ano menos ano, já você já terá alguma experiência na área, o que lhe permite prestar um melhor serviço quando os clientes ou leitores estiverem dispostos a gastar mais! Não é por acaso que empresas como a Microsoft ou a Apple surgiram em épocas de crise. Lembre-se: O momento certo para iniciar alguma coisa é agora. O resto é conversa (ou desculpa).

Solução

Aplique a técnica da ignorância nos meios de comunicação social, principalmente nos económicos. Se prestar atenção a eles, a crise será um tema central, o que pode levar a que perca ainda mais a coragem de começar o seu próprio negócio. E mesmo quando ouvir falar da crise, aproveite para lembrar-se deste momento ao contrário. É uma época de oportunidade, onde apenas os mais fortes sobrevivem e você quer ser um deles. Por isso siga em frente.

Desculpa número 7: O meu mercado está saturado

Resposta típica dos pouco criativos. Nenhum mercado está impossível de se explorar, mesmo aqueles que pareçam estar mais em queda. Contudo, será sempre mais complicado iniciar um negócio onde a concorrência seja enorme. Concordo consigo. Se quiser criar um blog sobre ganhar dinheiro, o mais certo é que tenha que batalhar muito para conseguir algum destaque e agradar a um grande número de leitores. Contudo, haverá sempre uma fatia para si. Apenas terá que pegar num ângulo diferente.

Vou lhe dar um exemplo através do próprio Facebook. Quando Mark Zucerberg criou este site, as redes sociais já existiam, sendo dominadas naquela época pelo MySpace. Contudo, este jovem empresário optou por criar algo diferente dentro do mesmo nicho, ligando mais facilmente as pessoas através dos seus gostos, localização ou outras semelhanças. O que ele fez? Simples, Reinventou o conceito das redes sociais, acrescentando ao que já havia uma mais valia, algo que o pudesse diferenciar da concorrência dando mais valor ao seu negócio.

Solução

Se está a pensar entrar num mercado como freelancer onde a concorrência seja muito forte, tente encontrar alguma ponto onde os seus adversários estejam a errar: preço, tempo de resposta ao cliente,  design fraco, falta de experiência, entre outros. No fundo estará a fazer uma análise SWOT aos seus concorrentes. Depois de descobrir este ponto fraco, faça dele o seu ponto mais forte, criando uma solução inovadora. Mas esteja atento a uma coisa: o básico do seu negócio não pode faltar. Se quiser abrir um negócio como venda de pão e quer entrar no mercado com um preço mais baixo para se evidenciar, não se esqueça que a sua principal actividade é a produção de pão!

Desculpa número 8: Ninguém me ajuda

Se houve uma das coisas que o ténis me ajudou desde muito novo foi a acreditar que você só depende de si. Estar sozinho dentro de o campo, viajar sem mais ninguém ou ter que resolver problemas sozinhos, ensinaram-me que em certas situações da nossa vida só podemos contar com nós mesmos. O mesmo acontece com o seu próprio negócio. Trabalhar como freelancer é uma tarefa bastante solitária. Exige passar muito tempo sozinho, tomar decisões pela sua própria cabeça e assumir os seus próprios erros. Portanto, quem ficar à espera que alguém venha e dê um “empurrãozinho” é melhor esperar sentado, pois nunca irá triunfar neste ramo.

Para vencer no mundo do freelancing é necessário ter capacidade de iniciativa, não ficar à espera que alguém faça uma tarefa por si. Esse é o género de atitude de quem trabalha por conta de outra pessoa. Ser proativo é a principal característica de um freelancer. Por isso pare de esperar que alguém venha fazer o trabalho por si. Faça-o você mesmo.

Solução

Imagine que não tem mais solução: a sua família o abandonou, ficou sem amigos e o banco não lhe empresta dinheiro. Você não tem nada e iniciar o seu negócio é a sua única salvação possível. O que faria neste caso para ganhar dinheiro? Como iria sobreviver os próximos dias? Pensar em si numa situação de desespero, num momento de vida ou de morte, podem fazer a sua imaginação ganhar asas e encontrar uma solução para iniciar o seu trabalho como freelancer sozinho, sem que ninguém o venha ajudar. Imagene-se nos seus limites e sinta como iria reagir.

Desculpa número 9: Nunca trabalhei sozinho não sei como se faz

Então está no momento de começar! Existem coisas que não deveriam ser ditas e esta é uma delas. Se nunca iniciou o seu trabalho como freelancer é mais que normal que ainda não tenha experiência como trabalhador independente. E como se adquire experiência? Trabalhando. Portanto comece já hoje o seu próprio negócio. Comece já a ganhar experiência e a errar. Comece pelo princípio. Seja o seu próprio professor.

Solução

Leia o máximo que puder sobre a área que vai começar a explorar. Veja como os melhores trabalham. Não tente copiar, mas sim ver algumas arestas bases, coisas que possam ter em comum os vários especialistas no ramo, pois essas características comuns são o motivo do sucesso deles. Se quiser iniciar o seu trabalho como fotógrafo por exemplo, veja como os melhores trabalham, que tipo de fotografias eles retiram, que paisagens procuram mais, quais os ângulos utilizados, etc. Deste modo, evitará erros iniciais. Não irá impedir que eles aconteçam, mas ao menos pode diminuir a probabilidade que eles apareçam.

Desculpa número 10: Já errei uma vez não quero errar novamente

Desculpar-se com isto é o mesmo que cair uma vez de bicicleta e não querer andar mais. Quantas vezes teve que cair para aprender a andar? É certo que aquele seu vizinho pode ser um perito a andar de bicicleta e a primeira vez que agarrou nela tenha conseguido ter sucesso. Mas você não. Caiu, levantou e voltou a cair. Depois de vinte tentativas lá se consegue manter equilibrado nas duas rodas.

Moral da história? Quando somos crianças, a nossa capacidade de tolerar o erro é muito maior. Aprendemos tudo muito mais facilmente, pois não temos consciência nem medo do que possa vir a acontecer. Tudo é lindo e maravilhoso. Quem já tentou uma vez trabalhar como freelancer e falhou, adquiriu o que se chama o medo-de-errar-duas-vezes-da-mesma-forma. Com isso, vem o receio de ser chamado de burro ou teimoso, por acreditar pela segunda vez numa coisa que errou.

Solução

Volte a ser criança, sendo adulto ao mesmo tempo. Analise porquê errou da última vez, o que faltou para atingir o sucesso. Pense nisso durante duas noites, anotando tudo num papel. Depois disso siga em frente, aprende com os seus erros e comece outro negócio do princípio. Iniciar a sua vida como freelancer a pensar que poderá falhar não tem o mínimo sentido. Comece pelo princípio, ou seja, pense no que precisa para ser bem sucedido. Aprenda com os erros, melhore com eles.

Já chega de desculpas?

Espero que com estes dois artigos tenha lhe demonstrado que as desculpas podem existir, mas que também existem soluções para elas. Que pode contornar os seus problemas e que já não existem motivos para recear o seu início de vida como freelancer. Vá em frente, seja ativo e lembre-se que uma desculpa será sempre isso mesmo, uma desculpa.

Leitor, se já passou por esta experiência diga-nos como foi. Se está a passar por ela, diga-nos o que sente para podermos ajudá-lo.

Abraço

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.

BAIXE GRÁTIS O EBOOK "PENSAMENTOS SOBRE MARKETING DIGITAL"
Este livro reúne 31 estratégias para você aplicar no seu negócio.

Pensamentos sobre marketing digital
close-link