Marketing Digital 03/01/2012

9 conselhos para um jornalista freelancer adaptar-se à internet

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Conseguirmos adaptar a profissão para a qual sempre estudamos a um novo meio, não é uma tarefa fácil. Isto acontece porque nós, seres humanos, temos grande aversão à mudança e tudo o que possa surgir fora da nossa zona de conforto. Mas como expliquei ontem, no meu artigo sobre o que fazer quando não consegue trabalhar na sua área, por vezes esta alteração da realidade torna-se necessária. Quer seja pelo fato de não conseguir emprego ou por estar a ser mal remunerado.

Uma das profissões que mais tem sofrido com as mudanças da internet tem sido o jornalismo. O aparecimento de sites noticiosos tem levado os jornais e televisões a perderem uma audiência considerável. Com menos mercado, as empresas têm sido obrigadas a despedir trabalhadores, levando a que a área do jornalismo tenha um elevado número de desempregados. Outra das saídas utilizadas pelos jornalistas tem sido a opção de freelancer. Contudo, esta escolha nos dias de hoje leva a que estas profissionais adquiram outras conhecimentos, sendo a internet o principal.

Isto porque grande parte dos trabalhos são pedidos por sites ou por blogs, tornando o jornalista em mais um produtor de conteúdo do que um pesquisador de informação. Os trabalhos para revistas e jornais também acontece, mas é raro, funcionando apenas como extra ao final do mês. Devido a isso, o jornalista precisa de se adaptar à internet, algo que muito dificilmente lhe terão ensinado na faculdade. Por isso, existem alguns conhecimentos básicos que um jornalista freelancer necessita para se adaptar à web. Ficam aqui alguns deles.

1. Aprenda sobre sites e blogs

Apesar de poder realizar trabalhos para outras pessoas, torna-se necessário que comece a perceber como funciona a estrutura de qualquer site ou blog. Enquanto como jornalista, tinha apenas de escrever textos no Word ou no InDesign e o trabalho estava feito. Mas como jornalista para sites noticiosos, é importante que entenda como se escreve um artigo. O que é mais importante, como linkar para palavras-chave ou como incluir tags torna, a produção de conteúdo, algo que vai exigir ainda mais dos conhecimentos. Não basta apenas saber escrever bem, mas também saber escrever para a internet.

Outro dos benefícios em saber um pouco mais sobre esta área é o fato de você poder criar o seu próprio blog. Nele, poderá escrever sobre um tema que mais lhe agrade. No estrangeiro, temos casos de pessoas que abandonaram a sua profissão de jornalista, começaram trabalhando como freelancer e depois terminaram como grandes blogueiros. O Leo Babauta é um dos exemplos mais flagrantes disso mesmo.

2. Escrever para a web não é escrever para um jornal

Trabalhar como jornalista antes de começar um blog, por exemplo, dá uma vantagem enorme em termos de escrita. Você aprende a escrever de um modo mais correto, sabe utilizar outro tipo de vocabulário e sabe como cativar um leitor. No entanto, não podemos pensar que escrever para a internet é o mesmo que produzir conteúdo para um jornal. Existem algumas adaptações que deve fazer. Tenha atenção a algumas das seguintes:

  • A internet tem sempre uma ligação mais pessoal com o leitor. Se você escrever para um blog, pode dar conselhos aos seus leitores ou perguntar o que eles acham. Sinta-se livre para ter esse gênero de aberturas. Mas tenha cuidado: não exagere. Sorrisos e risos durante o texto estão fora de questão
  • As pessoas na Web têm uma quantidade de informação enorme. Por isso, têm menos tempo para ler o seu artigo. Isso não quer dizer que tenha de escrever textos curtos. No entanto, se quiser escrever muito, o seu texto preciso de estar simplesmente fantástico, para que leve a pessoa a perder aqueles minutos valiosos na internet
  • Os jornais e as televisões parecem ter um receio enorme de falarem sobre algum concorrente direto. Na internet, isso não acontece. A Web é um meio bem mais aberto, em que falar sobre um concorrente é algo normal. Desde que sirva para enriquecer o seu conteúdo, o blogueiro não se importa. Mostre-se aberto para fazer parcerias, tal como nos fazemos com o blog Midia 8 ou com o PDL.
  • Enquanto num jornal importante, existe um paginador e você apenas precisa de escrever, na internet é você que organiza como aparece o seu conteúdo. Por isso, tenha cuidado para não o tornar “chato” demais. Divida por pontos (como fiz aqui) e insira imagens
  • Num papel, estamos completamente impedidos de inserir vídeos. Mas nos sites esta é uma excelente vantagem. Quando falar sobre um acontecimento, pesquise por um vídeo sobre ele no Youtube. Além de acrescentar informação, o vídeo tem sido uma das plataformas que mais tem crescido e que mais “agarram” os leitores a uma notícia

jornalista

3. Estude SEO

Na internet, podemos escrever um bom texto, mas se ele não chegar às pessoas, de pouco irá valer. O jornalista precisa de fazer chegar o seu trabalho às pessoas. Mas como o pode fazer? Para quem trabalha nesta área e criou o seu próprio blog, necessita de aprender um pouco sobre SEO (Search Engine Optimization). Estes conhecimentos irão permitir que os seus artigos comecem a aparecer nas primeiras posições dos motores de busca. Para quem quiser saber um pouco mais, sugiro que leiam um pouco da Escola Dinheiro ou que dêem uma passagem pelo MestreSeo.

4. Aprenda a interagir nas redes sociais

Tanto os jornais como as televisões têm muito o hábito de usarem o Facebook ou o Twitter para inserirem os seus conteúdos lá e pouco mais. Ao trabalhar na internet, as redes sociais são preponderantes para divulgar o seu trabalho. Mas acima de tudo, necessitam de ser usadas de um modo correto. O jornalista Paulo Querido é um dos melhores exemplos disso mesmo. Faça perguntas, coloque frases e fale com os seus seguidores. Não os “use” apenas para que visitem o seu site. Dê-lhes algo mais!

Pondere ler: Como melhorar o seu Edgerank no Facebook e conseguir mais clientes

5. Seja proativo

Por norma, os jornalistas já são proativos. São eles que propõem as reportagens, sugerem entrevistas ou relatam um jogo de futebol. Mas na internet essa proatividade necessita de ser feita de um modo diferente. Enquanto numa publicação, a sua proatividade resume-se a fazer trabalhos, na internet existe um maior número de iniciativas que você pode tomar. Vejamos algumas:

  • O dinheiro ao final do mês já não surge. Por isso, você necessita de ir atrás dos seus rendimentos, quer seja em trabalhos para sites noticiosos como para rentabilizar o seu blog
  • Os temas na internet são muito variados. Terá um número enorme de opções para explorar, quer seja a política, os esportes ou mesmo as apostas
  • Faça sorteios no seu próprio blog
  • Pergunte e divulgue vídeos nas redes sociais
  • Crie um portfólio
  • Experimente escrever sobre temas que não se sente tão à vontade

Como pode verificar, existem várias coisas que você pode fazer quando começar a trabalhar como jornalista freelancer na internet. O necessário é saber todas elas e explorá-las da maneira correta.

6. Trabalhe em outros meios

Ser jornalista não significa apenas saber escrever. Um profissional desta área terá mais facilidade em trabalhar na televisão ou na rádio. E a internet pode ser uma excelente ajuda neste ramo. Se você sempre quis ser apresentador de televisão, porque não começa a gravar uns vídeos no youtube? Ou se o seu sonho sempre foi a rádio, considere gravar alguns podcasts. Com a internet, adapte os seus sonhos, pois meios para isso não faltam.

7. Faça branding pessoal

Na internet, você é reconhecido pelo seu nome e pelo trabalho que desenvolve. Já num jornal, você não passa de um nome que aparece no fim da notícia. Apesar de poder ser um bom profissional, jamais será mais reconhecido do que a empresa para a qual trabalha. Se quiser ser um jornalista profissional de renome na internet, necessita de fazer muito branding pessoal. Ou seja, cada vez que uma pessoa falar o seu nome, terá que associá-lo ao seu trabalho ou a uma imagem sua.

8. Pondere começar mais de um projeto

Um jornalista é sempre obrigado a saber sobre as mais variadas áreas. Esporte, economia ou política são apenas alguns dos exemplos dos conhecimentos adquiridos por um profissional desta área ao longo dos anos. E essa variedade pode ser uma excelente oportunidade para, por exemplo, começar a escrever em blogs sobre áreas distintas. Suponha que se especializou em esporte e educação. Porque não criar um blog sobre cada uma destas áreas e atualizá-los em momento que tenha menos trabalhos enquanto jornalista freelancer?

9. Que tal escrever um ebook?

A pesquisa faz parte do dia-a-dia de qualquer jornalista. Antes de publicar qualquer notícia, necessita de verificar a informação e as suas fontes. E que tal aproveitar esse seu talento para publicar um ebook? O próprio Tim Ferriss, no seu livro 4 horas por semana, aconselha isso mesmo: escolha um tema, pesquise sobre ele e faça um ebook. Depois, faça uma pequena página de aterragem para a venda do seu produto.

Como se adaptou à internet?

A passagem de um jornalista de redação para um jornalista a trabalhar a tempo inteiro na internet é complicada. A realidade muda completamente e necessita de se adaptar a novos meios. A opção mais fácil será sempre tornar-se jornalista freelancer a tempo inteiro. Mas a verdade é que nem sempre surgem clientes e os blogs, Youtube ou ebooks podem ser uma excelente opção para conseguir rendimentos extras e ocupar o seu tempo livre.

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.

BAIXE GRÁTIS O EBOOK "CHECKLIST PARA FACEBOOK"
Os primeiros passos com sua página no Facebook.

Checklist para facebook
close-link