Marketing Digital 23/02/2012

Como Falar em Público – Dicas e Estratégias

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Trabalhar como freelancer é sinônimo de vender o nosso produto ou ideia. Para isso, necessitamos de saber expor aquilo que queremos comercializar de um modo bastante eficaz, convencendo o possível comprador a optar pelo nosso produto em vez do nosso concorrente. Com o aparecimento da internet, os freelas têm se dedicado à criação de portfólios ou de sites, onde dão a conhecer os seus trabalhos de um modo inovador. Nada contra, visto que estas páginas permitem uma interação diferente com o cliente. Contudo, aos poucos temos esquecido uma fonte de divulgação e de vendas bastante interessante: a apresentação em público.

Falar para outras pessoas não é algo que seja inato à maioria das pessoas. Um estudo recente revelou que 60% dos brasileiros tem medo de enfrentar uma plateia. Mas porquê isso acontece? Infelizmente, falar em público não é uma tarefa fácil. E desenganem-se aqueles que julgam que falar num contexto social é mais fácil do que falar de um modo profissional. Imagine que está num juntar com 100 amigos e de repente pedem-lhe para fazer um discurso. Aí você não tem Power Points nem estatísticas para mostrar aos seus amigos. O que faz? Terá de ter uma grande capacidade de improviso quando chegar aquele segundo em que 100 pessoas estão totalmente olhando para si e você não sabe o que dizer. Parece o fim do mundo!

A pergunta certa é: do que, afinal, temos medo? Das pessoas? De nos enganarmos nos nomes? De tropeçarmos? Na verdade, temos receio do que os outros vão achar de nós. Pensamos que eles estão atentos a todos os pormenores, desde o mexer das mãos até à mínima frase mal dita. Portanto, a pressão é maioritariamente criada por nós e não pelas pessoas que estão assistindo. O segredo de ser um bom orador passa por transmitir às pessoas a ideia que você pretende, deixando o público empolgado e com vontade de debater o assunto.

falar em publico

O problema da adrenalina

Quando falamos em medo de falar em público, falamos automaticamente de adrenalina. A adrenalina é um hormônio segregada por uma molécula acima dos rins, que entra em excesso na corrente sanguínea em determinadas situações, como em casos de medo ou euforia. Quando alguém tem uma destas sensações, este hormônio transmite uma informação ao corpo de perigo, ataque, defesa ou fuga, permitindo ao ser humano defender-se. Ela começa a preparar o nosso corpo para um esforço físico como correr, pular ou movimentos de reflexos rápidos.

Quando alguém tem medo de falar em público, a adrenalina dispara na corrente sanguínea, aumentando a pressão e por esse motivo existe uma aceleração cardíaca. Por isso surgem sintomas como: mãos suadas, pernas tremendo, aceleração cardíaca, desconforto no estômago, incapacidade de raciocínio ou boca seca. Apesar da adrenalina, não podemos abandonar o palco. Temos que saber lidar com a situação. Com a experiência, irá perceber que este hormônio será mais uma fonte de prazer do que desconforto. Mas para isso, necessita de experiência e de se expor várias vezes em público.

1. Conheça seus medos de falar em público

O primeiro passo para você conseguir falar bem em público é conhecer os seus medos. Veja aqui algumas das possíveis razões:

  • Medo de errar
  • Medo de não estar à altura
  • De não ter conhecimentos suficientes
  • O riso dos outros
  • Enganar nos nomes
  • Cair
  • Falta de talento
  • De ser contrariado por um elemento da plateia
  • De receber uma pergunta difícil

Só conhecendo as suas dificuldades é que poderá combatê-las. O primeiro pensamento que deve ter em mente é o de que não é fácil para qualquer pessoa falar em público. Aquela pessoa que você está vendo em palco e que parece estar tão à vontade, tem os mesmos receios que você. Só que você não os sente ou então ela não os demonstre tão claramente, por ter mais experiência neste tipo de situação. Mas a verdade é que todos já passamos por aquele arrepio no estômago na hora de apresentar um projeto. O problema é que uns enfrentam esse receio, enquanto outros se deixam bloquear pelo pânico.

2. Técnicas de relaxamento

Uma das técnicas mais usadas pelos profissionais desta área é a ida ao banheiro minutos antes da apresentação. Para disfarçar um pouco o nervosismo, um dos segredos é ir ao banheiro e fazer uma auto-massagem no rosto. Isto porque os músculos faciais são aqueles que mais facilmente sentem a adrenalina de falar em público. Passe as mãos e abra e feche a boca consecutivamente. De seguida, faça movimentos circulares com o pescoço para ambos os lados.

Outra das dicas para melhorar o relaxamento é melhorar a sua respiração. Com o nervosismo, passamos a respirar mais rapidamente, mas isso dificulta a entrada de oxigênio para o cérebro. Por isso, na sua ida ao banheiro, opte por fazer respirações profundas mas lentas, de modo a aliviar a tensão, libertando dióxido de carbono e enviando oxigênio para o cérebro. A nível psicológico, outro dos segredos é evitar cenas pessimistas na sua mente. As pessoas mais negativas começam rapidamente a pensar em situações catastróficas como cair do palco ou se enganar numa frase. Quando isso acontecer, pondere agarrar numa folha de papel e escrever. Isto porque o ato de escrever é visto pelo cérebro como uma sensação de prazer, aliviando rapidamente a tensão nervosa presente no corpo.

3. Motive-se

Como referi no ponto anterior, minutos antes de entrar em palco o mais provável é que você comece a ter pensamentos negativos. Devido a isso, tenha a atitude contrária: motive-se. Ficam aqui alguns pensamentos que o podem ajudar:

  • A maioria das pessoas também tem medo de falar em público, por isso considere essa situação como normal
  • Esse seu medo apenas surge porque você é uma pessoa responsável e quer dar o melhor de si
  • Pensamentos positivos em relação à plateia acalmam determinadas inseguranças
  • Se o convidaram para falar em público, é porque há algum potencial reconhecido pelos outros
  • Quanto mais arriscar, mais facilmente vai vencer as suas dificuldades. Esta é uma dessas oportunidades

Se você está a poucos minutos de entrar em cena, aproveite essa nova oportunidade para aprender um pouco mais. Ninguém consegue aprender a falar em público sem passar por essa situação vezes sem conta.

4. Os 4’S

Os ingleses gostam de usar quatro palavras quando o assunto é falar em público: stand, speak, stay e smile. Destes 4’s, vou explorar um pouco mais a última. Isto porque os empresários gostam muito de passar aquela imagem séria, como se não fossem humanos. Mas a verdade é que um simples sorriso pode fazer maravilhas e criar uma ligação bastante interessante com a plateia. Um dos exemplos é Gary Vaynerchuk, que foge a tudo o que é convencional nas suas apresentações. Grita, não para quieto e critica-se a ele mesmo, mas nem por isso deixa de ser o profissional mais respeitado na sua área.

5. As mãos

“O que faço com as mãos quando estou a falar em público?”. Esta foi a primeira questão que colocava quando surgia o momento de expor a minha ideia a alguém, quer fosse durante as aulas de tênis ou na apresentação de um projeto na faculdade. Estar a falar com as mãos nos bolsos é um princípio errado e que deve ser evitado a todo o custo. Isto porque as mãos também são uma forma eficaz de transmitir informação, bem mais poderosa do que pode imaginar.

Faça gestos largos e circulares, porque estes normalmente são bem-vindos por parte do público. Contudo, pratique este hábito primeiramente em frente ao espelho e apenas depois passe para o palco. Para perceber melhor, fica aqui um exemplo de Marcelo Rebelo de Sousa, um dos melhores comentadores de Portugal e que utiliza muito bem as mãos na hora de falar.

As mãos devem estar sempre acima da cintura. Mas lembre-se de uma coisa: as mãos são apenas um complemento e jamais devem ser o centro das atenções do seu discurso, correndo o risco das pessoas prestarem mais atenção ao que está fazendo em vez do que você está dizendo. Siga alguns destes conselhos:

  • Não aponte. Pode ser interpretado de uma forma agressiva
  • Não esconda as mãos
  • Não cerre os punhos
  • Faça gestos circulares
  • Varie os gestos
  • Faça gestos naturais

6. Atitude corporal

Quem tem por hábito assistir a palestras, consegue facilmente identificar se a pessoa que está à sua frente encontra-se à vontade. Observar o corpo é a melhor maneira de verificar isso mesmo. Transmitir timidez, insegurança ou falta de confiança são sinais claros de que existe falta de experiência a falar em público. Um dos erros mais comuns é o fato de começar a falar poucos segundos depois de subir ao palco. Tenha calma. O público necessita, primeiramente, de digerir a sua imagem corporal. Por isso, quando subir em palco, dê alguns segundos à plateia, espere que ela fique em silêncio, e só depois comece o seu discurso.

Acredite que nos primeiros segundos, em que ainda nada disse, a plateia estará a olhar para tudo o que há no seu corpo: sapatos, camisa, óculos, calças..tudo! É neste momento que estamos mais frágeis e predispostos a mostrar o nosso nervosismo. Então o que devemos fazer? Andar de um lado para o outro? Ficar parados?

Todos estes movimentos devem ser evitados, visto que não transmitem qualquer segurança corporal. Repare no vídeo abaixo do Gary Vaynerchuk. O máximo que ele faz é andar dois ou três passos para o lado e depois para no meio. Este período que ele fica no meio do palco é importante, pois demonstra que ele está seguro sobre aquilo que está falando.

7. O olhar

Outro dos pontos essenciais quando se fala em público é olhar. Afinal de contas, para onde devemos dirigir os nossos olhos? Alguns livros, dizem que devemos olhar para um ponto do auditório, seja ele uma cortina ou uma janela. Isso serve apenas para pessoas que tenham medo de olhar para a reação da plateia. Mas esta atitude limita-nos num ponto: na interação com a plateia. Se não está a olhar para ela, como sabe qual está a ser a sua reação?

O meu conselho é que divida a sua plateia em quatro zonas: 1,2,3 e 4. Alternadamente, vá olhando para qualquer uma destas zonas. Deste modo, não estará a olhar para ninguém em específico (evitando o desconforto do orador) e terá uma ideia de qual está a ser a reação da plateia. Quando a plateia está a gostar da sua apresentação, tudo bem. O problema é quando você repara que a sua apresentação está sendo chata e sem motivo de interesse. Geralmente surgem duas situações:

  • Uma pessoa em particular: Por vezes e sem percebemos bem o motivo, existem pessoas que parecem estar na plateia apenas para dizer mal da sua apresentação. O melhor que pode fazer é ignorar e focar-se naquelas que estão a gostar. Tentar passá-la para o “seu lado” normalmente não dá bom resultado
  • O público começa a desviar o olhar e a conversar: Por mais que se aplique e que se prepare, irão existir situações em que o seu público irá começar a perder a atenção. Imagine que está falando sobre os 7 passos para aceitar as críticas de forma positiva. Se vai no 5º ponto e a plateia já não presta atenção, faça uma pausa. Conte uma história ou varie um pouco a sua palestra. Com o tempo, você aprenderá que o planejamento serve apenas como guia, que pode ser alterado conforme a situação.

8. A voz

Já abordei este ponto no nosso artigo com dicas para falar em público, pelo que não me vou alongar muito neste aspeto, mas sim fornecer uma informação complementar. Desta vez vou abordar algumas dicas para manter a sua voz saudável e “no ponto” quando chegar o momento de falar perante a plateia. Dicas como beber água, não fumar, evitar alimentos demasiado quentes/frios ou falar alto durante um longo período são essenciais. Contudo, ficam aqui outras bastantes interessantes:

  • Evite os cafés antes da palestra
  • De preferência à maçã, que ajuda a limpar a garganta porque é um adstringente
  • Evite o consumo de leite, chocolates e seus derivados no próprio dia, pois estes aumentam a secreção do muco no trato vocal
  • Evite tossir. Se estiver com muita tosse, ingira bastante água alguns minutos antes
  • Não use calças apertadas na cintura ou golas justas no pescoço, pois podem dificultar a respiração

9. Exercícios para a dicção

Para quem tem dificuldades com a dicção, existem algumas frases que podem ajudá-lo a melhorar nesse aspeto. Elas devem ser treinadas constantemente, de forma a ter um progresso continuado. Quando conseguir fazê-las facilmente, experimente ler com um lápis na boca, atravessando os dentes. Esta dificuldade vai facilitar a sua vida na hora de falar em público. Ficam aqui alguns conjuntos de frases interessantes para você praticar:

Se o príncipe da Constantinopla se quisesse desconstantinopolizar, que seria o desconstantinopolizador que usaria a Constantinopla para desconstantinoplitanizá-lo?

Na terra dos tigres, um tigre, dois tigres, três tigres. Três tigres adormecidos e um outro tigre tigrado acordado

Num ninho de mafagafos, sete mafagafinhos há. Quem os desmafagafizar, um bom desmafagafizador será.

Um guardanapo, muito bem enguardanapado, quem o enguardanapou? Se voltar a desenguardanapar, é um frade desenguardanapador.

10. Estude constantemente

Falar em público é um ato constante de estudo, que não deve ser colocado de parte. Quando comecei a dar aulas, alguns dos livros que comprei foram dedicados a esta área, pois sabia o quão importante era a minha oralidade enquanto professor. Uma das opções mais interessantes do mercado são os cursos 24 horas para falar em público. Neles terá uma quantidade enorme de vídeos, apostilas e um professor dedicado a si. E o melhor é mesmo o preço de 30 reais, que é bastante atrativo. Para quem está a começar, aconselho mesmo que subscreva as aulas, ficando com uma base bastante interessante. Para quem quiser saber um pouco mais, veja o vídeo abaixo:

Estas são apenas algumas dicas do que você pode fazer para falar um pouco melhor em público. Se quiser saber um pouco mais considere ler outros artigos sobre o tema:

E você, que dificuldades costume ter quando fala em público?

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.