Marketing Digital 12/05/2011

Como deixar o seu emprego e iniciar a carreira de freelancer (Parte II)

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Depois do primeiro artigo sobre como deixar o seu emprego e iniciar a carreira de freelancer, damos inicio ao segundo texto sobre o tema. Durante o post anterior, explicamos o que devia fazer para vencer os seus medos, como deixar o emprego e decidir o que vai vender. Hoje vamos dar-lhe mais alguns passos. As próximas jornadas serão de muito estudo mas também de muito trabalho prático. Compreenda que estes primeiros passos na sua carreira de freelancer são essenciais para que não cometa erros que lhe podem trazer problemas graves no futuro, por isso preste bem atenção a esta série de artigos.

O problema de muitas pessoas que querem começar a trabalhar como freelancer é mesmo o problema de não saberem como fazê-lo. Não sabem como deixar o emprego, não sabem como iniciar em termos legais ou não têm certeza se serão produtivos quando deixarem de ter um chefe a dizer tudo o que têm para fazer. A verdade é que nem todas as pessoas, à partida, têm capacidade para ter o seu próprio negócio. Mas tal como tudo na vida, não há prática que não leve à perfeição. Você pode não ter nascido com o dom natural para ser empreendedor. No entanto, isso não faz de si um incapacitado nesta área. Saber investir num negócio ou manter a organização são coisas treináveis. Se não nasceu com o dom é normal que não seja um freelancer de sucesso, mas com muito trabalho certamente irá conseguir ser um dos melhores. Para isso siga as nossas dicas seguintes.

Faça um plano de negócios

Depois de escolher o produto que vai vender, está na hora de fazer um plano de negócios. Este passo não é mais do que um guia para perceber o que quer deste produto, o modo como o vai dar a conhecer ou que público-alvo quer atingir. Para realizar um plano de negócios eficaz é importante que responda a estas seguintes questões:

  • Qual é o objetivo do meu produto/serviço?
  • O que vou fazer me destacar dos meus concorrentes?
  • Que público-alvo pretendo atingir?
  • Em quanto tempo espero recuperar o meu investimento?
  • Quantos clientes quero ter dentro de um ano?
  • Que volume de negócios quero ter dentro de um ano?
  • Como vou fazer para manter a empresa nos primeiros meses?
  • Que gênero de parcerias vou realizar para alavancar o meu negócio?
  • Preciso de contratar algumas pessoas?
  • Que material necessito para iniciar o meu negócio?
  • Que investimento vou ter que fazer?

Estas são apenas algumas questões que você deve colocar no seu plano de negócios. Não é algo que necessita de entregar a alguém. É apenas um ficheiro Word, com pouco mais do que dez páginas mas que será a sua linha orientadora. Serve para criar as bases iniciais e para que, de vez em quando, dê uma vista de olhos e recorde quais eram os seus objetivos e se estão a ser concretizados.

Estude o máximo que puder sobre a sua área

Agora que já está com a sua ideia bem definida e já sabe o que deve fazer, chegou o momento de estudar o máximo sobre a sua área. Se acabou de se despedir do seu emprego e tem algum tempo livre, devore todos os blogs, livros e revistas relacionadas com o tema. Com certeza irá ganhar novas ideias para o seu negócio. Caso ainda esteja a deixar o seu emprego fixo, assine as newsletter de blogs e tenha como meta ler dois livros por mês sobre a sua área. Comece a tentar equilibrar as suas oito horas de trabalho com algum investimento pessoal no seu novo projeto.

Mas porquê é importante tanto estudo nesta fase inicial? Perceba que quando entrar no mercado, você estará sempre um passo atrás dos seus concorrentes, visto que eles levam a experiência de alguns meses ou anos. Estudar constantemente faz com que diminua esse espaço que existe entre você e os seus concorrentes. Ainda me recordo de uma história que li num livro do treinador português José Mourinho. Quando ele deixou o seu trabalho de adjunto no Barcelona, por volta dos mês de março, sabia que iria começar a treinar um clube em julho. Durante esse período de tempo, ele afirma que devorou livros, viu jogos durante todo o dia e analisou todas as equipas do campeonato. Ora, ele fez exatamente aquilo que deve ser feito antes de você iniciar a sua carreira de freelancer.

Veja todos os procedimentos legais

Trabalhar como freelancer não é apenas saber escrever artigos com qualidade para blogs ou vender produtos. Existe muito mais além disso. E uma das características que são necessárias é saber todos os procedimentos legais. Quanto deve descontar para o seu Estado, quanto deve dar para a sua reforma ou como irá fazer para calcular o seu salário são  apenas algumas das coisas que deve ter conhecimento. Com certeza encontrará muita informação pela internet mas o mais correto será mesmo falar com um contabilista. Não pense que será um investimento em vão. Cometer erros financeiros podem fazer com que pague muito caro no futuro. Para se informar um pouco melhor, considere ler este artigo com 12 dicas para melhorar as suas finanças pessoais enquanto freelancer

Prepare todo o seu material

Não coloquei a palavra “todo” sublinhada por acaso. Eu digo isto porque muitas pessoas gostam de começar o seu trabalho de freelancer “apenas” com algum material. “Um computador chega” diriam muitos. Por vezes é suficiente, mas a maioria das vezes não é. Suponha que tem um computador velho. Demora a ligar, por vezes fica bloqueado ou a bateria não dura mais do que uma hora. Se fizer bem as contas, verá que está a perder várias horas de trabalho com todas estas dificuldades enquanto poderia um mais rápido, que o faria ganhar até uma hora de trabalho por dia. Portanto, ao fim de vinte dias úteis, são vinte horas de trabalho deitadas fora. Imagine que recebe cerca de trinte reais por cada hora que produz. Com certeza em poucos meses teria o seu investimento pago. Já para não falar do stress e da quebra de raciocínio que isso lhe provoca. Ter o ambiente de trabalho bem organizado é importante. Portanto, considere adquirir vários materiais como:

  • Secretária ampla
  • Dois monitores (um grande de preferência)
  • Cadeira confortável para não ficar com más posturas
  • Materiais de organização pessoal
  • Ferramentas para freelancers
  • Bloco de notas para anotar todas as suas ideias
  • Mala onde possa transportar todo o material
  • Internet com boa velocidade
  • Apoio para os pés

Escolha o melhor local para trabalhar

O material que escolher para trabalhar vai ser sempre condicionado pelo local onde decidir passar a maior parte do seu dia. O que sempre aconselho é que tenha um escritório, mas que varia este local com espaços de coworking ou cafés. Utilize o escritório para quando tiver que realizar trabalhos mais complexos, que exijam mais concentração. Por outro lado, quando tiver trabalhos de rotina e que sejam mais simples, saia um pouco do seu “buraco” e vá para a rua. Variar o local onde produz faz com que fique mais inspirado e que saia um pouco da sua rotina. Algumas condições como boa luminosidade, silêncio ou uma cadeira confortável devem ser fatores a considerar quando escolhe o seu local para trabalhar como freelancer.

Já realizou esses passos?

Com o segundo artigo da nossa série, já consegue ter alguma noção do que pode começar a fazer já hoje para iniciar a sua carreira de freelancer. Estes passos são essenciais para que se possa tornar um freelancer de sucesso. Lançar-se neste mundo sem a mínima preparação pode fazê-lo ficar sem o seu negócio de sonho em poucos meses. Você até pode ter um negócio inovador, mas se não tiver tudo bem programado vai acabar por fechar em poucos meses.

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.


BAIXE AGORA
O Ebook que vai ensinar você a criar imagens poderosas para anúncios pagos nas redes sociais!

close-link