Marketing Digital 13/09/2012

Como criar um portfólio online em 7 passos

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Criar um portfólio é uma regra básica para qualquer freelancer. É nessa página que você deve conter toda a sua informação de forma a que os clientes consigam encontrar tudo aquilo que necessitam. Já falamos aqui em sites para criar portfólios e indicamos quais as características que um portfólio deve ter. No entanto, continuamos a receber contatos de leitores que estão com dúvidas sobre o que deve ser escrito num portfólio e quais os passos que devem ser seguidos. Estas questões são bastante comuns, especialmente para quem está iniciando o trabalho de freelancer e não sabe o que deve fazer ao começar uma página do “zero”.

Hoje em dia, poderá pensar que criar uma conta no LinkedIn ou ter uma página no Facebook é algo suficiente e que pode servir como portfólio. Essa é uma visão errada das redes sociais. Facebook, LinkedIn ou Twitter, devem funcionar apenas como uma forma de divulgação do seu trabalho, criando uma interação extra que o próprio portfólio não o permite. As suas páginas nas redes sociais são uma excelente forma para dar a conhecer aos outros alguns exemplos dos seus trabalhos, interagir com eles ou maximizar a sua capacidade de divulgação. As contas nas redes sociais jamais devem servir como portfólio, mas sim uma forma de encaminhar outras pessoas para a sua página.

OBJETIVO

Existem duas formas de surgir um portfólio: através de uma página normal, onde tem alguns dos seus trabalhos. Ou então através de um blog, que posteriormente servirá para ser contatado por clientes. Qual das duas opções é a melhor? Tanto faz. Tudo depende do que você pretende. No entanto, existem algumas diferenças em termos de tempo investido em cada uma destas duas opções. Se construir uma página estática, irá perder menos tempo e conseguir uma melhor organização de toda a sua informação. Por outro lado, se criar um blog, terá uma maior número de visualizações e uma maior interação com pessoas interessadas no seu trabalho. No entanto, não será tão focado para os clientes e irá retirar-lhe muito tempo no seu dia-a-dia.

Independentemente de escolher um ou outro, o mais importante é que defina desde o início qual será a sua forma de trabalhar. Infelizmente, muitas pessoas cometem o erro de criar um portfólio e depois tentar inserir textos, como se fosse um blog. O problema dessa alternativa é que, depois, não fica com aspeto de um blog nem de um portfólio. O mesmo acontece quando toma a decisão inversa. Sempre poderá alterar o layout ou fazer outras mudanças, mas isso é sempre um trabalho que pode ser evitado se definir desde cedo a sua estratégia. De realçar, ainda, que tenha o cuidado de inserir no blog um destaque relevante sobre as suas funções de freelancer. Caso contrário, os seus leitores dificilmente vão pedir os seus serviços.

TEMPLATE

Existe sempre a eterna questão: devo utilizar um domínio pessoal ou um portfólio pré-fabricado por outro site? Eu aconselho sempre a opção de ter um template único, que os distinga dos demais. Sei que isso implica um pouco de investimento, mas é a sua imagem profissional que está em jogo e todo o cuidado é pouco nessa situação.

INTRODUÇÃO DE CONTEÚDO

Esta é a parte mais importante na criação de um portfólio. O conteúdo vai ser o segredo para converter os seus clientes em possíveis vendas. Em primeiro lugar, tudo deve estar bem claro no que toca à informação que está disponível. Vejamos alguns das secções que devem existir:

Sobre: Aqui você irá explicar tudo aquilo que você já fez e faz atualmente. Na minha opinião, quanto mais profissional for esta parte, melhor. Muitas vezes vemos portfólios em que o “sobre” contêm piadas ou frases de humor. Sinceramente, considero que esse género de opção não é a mais indicada. O cliente procura sempre um trabalho sério e alguém em que possa confiar. Por isso, o seu “sobre” precisa de ser credível e fazer aquela pessoa acreditar que pode confiar no seu trabalho! Outro conselho que dou nesta secção é que insira uma foto, igualmente com um aspecto profissional.

O que esperar: Esta é uma seção cada vez mais comum e que ajuda naquela ligação entre o cliente e você, que expliquei há pouco. Nesta parte, você irá dar a conhecer ao seu cliente algumas das suas principais características (tempo de entrega, experiência, seriedade, etc). Esta secção não deve ser muito alargada e compreendo que seja das mais difíceis de serem escritas, mas esforce-se para conseguir uma apresentação convincente. Outra das hipóteses é a criação de um vídeo, que pode ser uma escolha bastante interessante também.

Vídeos: Esta seção não é obrigatória, mas se o fizer, certamente o seu porfólio terá um valor acrescentado. Vejamos o exemplo de um fotógrafo. Podem introduzir vídeos exemplificando como você faz o tratamento de um fotografia. Como cliente, você não ficaria contente por ver como o seu “futuro freela” trabalha?

Testemunhos: Uma das principais dificuldades dos clientes é perceber se você é de confiança ou não. Outra das formas de quebrar essa barreira é deixar testemunhos de outras pessoas. Quando terminar o trabalho com um cliente, diga para ele fazer um pequeno resumo de como foi trabalhar com você. Depois, insira as declarações no seu site. Se você trabalhar com empresas de renome, essa declarações terão ainda mais impacto. Você confiaria num profissional que já tenha trabalhado com a Nike e com a Apple? Certamente!

Áreas de trabalho: Se você é freelancer, certamente terá mais do que uma área de trabalho ou então pode trabalhar um sub-nichos do seu mercado. Você pode ser escritor freelancer mas também tradutor e jornalista, por exemplo. Dedique uma seção para explicar em que áreas trabalha e faça um resumo da sua experiência em cada uma delas.

Contato: Se você convenceu o cliente, chegou o momento de ele entrar em contato com você. Este é o último passo, mas se não for concretizado de pouco terão valido os anteriores. O meu conselho é que deixe a sua seção de contatos bem visível, de forma a não deixar qualquer dúvidas aos seus clientes. Deixe também os links para as suas redes sociais, no caso de o cliente não conseguir enviar o email.

ORGANIZAÇÃO

Você pode ser claro naquilo que escreveu e saber desde cedo o que pretende, mas o seu portfólio necessita de ser organizado. O segredo de um bom portfólio é a sua simplicidade. Neste caso, menos é mais. Em primeiro lugar, a sua página de entrada deve dar possibilidade ao cliente de ir até qualquer página sem quaisquer dificuldades. Gerentes de empresas que pretendam os seus serviços e que tenham 50 ou 60 anos terão dificuldades em pesquisar o seu portfólio se ele não for simples. Pense pela cabeça do cliente: “Eu quero contratar esta pessoa, como posso saber mais sobre ele?”.

Outra estratégia interessante é alternar imagens com texto. Fale um pouco sobre o seu trabalho e insira uma imagem com você trabalhando. Escreva um texto com os seus testemunhos e insira uma foto com um cliente e por aí adiante. As imagens também transmitem outra confiança ao cliente.

“CONTRATE-ME”

O objetivo do seu portfólio é que você seja contratado, então deixe isso bem claro. Além da página de contatos, tenha também uma secção – inserida na lateral do blog, por exemplo – onde o cliente pode clicar, ter um pequeno resumo e depois um local para entrar em contato consigo. Sei que isso será quase uma repetição da página “contato”, mas acredite que faz toda a diferença ter uma página “contato” e outra “contrate-me”.

MOSTRE NÚMEROS

Outra dos pormenores interessantes que infelizmente vemos num número reduzido portfólios são os números. Além do testemunho dos seus clientes, é interessante ter na sua primeira página números, dados do que você já fez. Dando novamente o exemplo de um escritor freelancer, que tal inserir na home page a informação que você escreveu mais de dez mil artigos? Isso não passaria uma confiança extra para o seu cliente? Certamente!

UM POUCO DE SEO

Quando o seu cliente procurar por você, grande parte das vezes ele irá fazê-lo através do Google. Não só para encontrar o seu site mais facilmente mas também para procurar outras referências sobre o seu trabalho. Por isso, é determinante que ele apareça logo no primeiro lugar das buscas. A estrutura do site deve estar bem definida, as palavras-chave que pretende ser encontrado têm de estar nos textos, entre outras coisas.

CONCLUSÃO

Construir o seu portfólio não é algo simples ou que aconteça de um momento para o outro. Ele deve ser pensado, bem estruturado e só depois deve ir para o ar. Mas ele deve ficar visível para os seus clientes com qualidade. Porque será essa mesma qualidade que irá diferenciar o “sim” e o “não” do seu cliente. Se investir 500 reais num portfólio com bom aspecto e daqui a um mês tiver ganho mil, o seu investimento já estará recuperado. Pense um passo à frente!

Abraço!

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.

BAIXE GRÁTIS O EBOOK "CHECKLIST PARA FACEBOOK"
Os primeiros passos com sua página no Facebook.

Checklist para facebook
close-link