Marketing Digital 05/09/2012

Como criar um perfil completo no LinkedIn

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Quando falamos em sites para divulgar o nosso trabalho, muitas vezes falamos em diretórios para freelancers, Facebook, Twitter ou Portfólios. Mais recentemente, o Google Plus também começou a ser incluído nesse grupo. Contudo, acabamos por nos esquecer de outra ferramenta muito importante, especialmente para os freelancers: o LinkedIn, que pode ser mais uma excelente ajuda para conseguir trabalho. Principalmente se estivermos falando de freelancers, onde a ligação com os clientes é tão importante para gerar mais oportunidades de negócio. No entanto, grande parte das pessoas não aproveita o poder desta ferramenta de forma eficiente.

Atualmente, só o Brasil conta com oito milhões de utilizadores no LinkedIn, o que representa uma grande fatia dos 160 milhões espalhados por todo o mundo. Além disso ,todos os executivos de todas as empresas listadas na Fortune 500 contam com uma conta nesta rede social, o que pode ser um bom indício para aqueles que estão buscando inspiração ou quem sabe até alguns conselhos sobre negócios.

linkedin

DIFERENÇA ENTRE O LINKEDIN E AS OUTRAS REDES SOCIAIS

Em primeiro lugar, quero deixar bem claro que LinkedIn é uma rede social diferente de todas as outras. Lá, você não vai encontrar imagens sentimentais ou frases feitas como existe no Facebook. O LinkedIn é uma rede criada para profissionais, que tem como objetivo criar ligações com pessoas da mesma área de negócios. Além disso, esta rede social tem regras muito específicas, o que torna mais “real” as conexões que você tem com as pessoas. Não poderá por aí sair fazendo pedidos de amizades a qualquer um nem partilhando imagens para que a sua página cresca. Bem pelo contrário: no LinkedIn é complicado fazer a sua rede crescer e o mais importante é a qualidade das pessoas do que a quantidade. Relacionar-se com as pessoas certas é um dos segredos para ter sucesso nesta rede social. Durante este artigo e em outros que se irão seguir, também irei explicar outros conceitos que diferenciam o LinkedIn das outras redes sociais e porquê que ela deve ser utilizada por si. Para já, vamos aprender como criar um perfil completo e quais as vantagens de o fazer.

INFORMAÇÕES PESSOAIS

Para começar, você precisa de fazer o login na página principal do site fundado por Reid Hoffman. Essa inscrição é completamente gratuita e a versão paga deve ser apenas utilizada em outro gênero de situações Mas por enquanto, vamos começar com a versão grátis que é mais do que suficiente para você conseguir contatos importantes. Tal como no Facebook e no Twitter, ter as suas informações devidamente preenchidas é importante, não só para dar informações precisas para quem visita a sua conta, mas também em termos de SEO dentro do próprio LinkedIn.

Para ser mais simples, faça a sua inscrição de forma normal e mais tarde alteraremos todos os pontos que forem necessários. Isto porque a inscrição no LinkedIn não inclui todos os pontos e o objetivo deste artigo é ter o perfil no LinkedIn completo. Para fazê-lo, basta sempre ir clicando em “pular esta etapa”, como demonstramos na imagem acima.

Se já finalizou todos os passos e está vendo o seu perfil muito incompleto, não se preocupe. A partir de agora iremos alterar todas as  secções do seu painel. Em primeiro lugar, vamos até à secção “Informação pessoal”. Aí, existem várias opções:

  • Celular: Indique um contato profissional. Se preferir, pode deixar esta parte em branco.
  • Endereço: Algumas pessoas gostam de deixar em branco esta parte, por razões de segurança. Mas recorde-se: apenas quem estiver conectado consigo consegue ver este ponto. Portanto talvez o melhor seja mesmo deixar o seu endereço no LinkedIn e ter mais atenção a quem você aceita como conexão.
  • Mensagem instantânea: Nesta parte você coloca o seu endereço do Gtalk, Skype ou Messenger. Sinta-se à vontade para inserir qualquer um.
  • Aniversário e Estado Civil: Nestes dois pontos, você tem possibilidade de deixa-los visíveis para todas as pessoas, apenas para pessoas que estejam a três graus de distância ou apenas para a sua rede. Para fazê-lo, basta clicar no ícone que tem à sua direita.

Estes primeiros passos são bastante simples, mas quero alertá-lo de um fator. O LinkedIn é uma rede de conexões, pelo que quanto mais disponível você estiver para dar dados seus, melhores vão ser as suas interações com as outras pessoas.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS

Depois de termos realizado algumas alterações básicas, chegou o momento de passarmos a algumas das mais importantes. Esta parte é de tremenda importância para quem trabalha a tempo inteiro na internet. Em primeiro lugar, vá a Informações adicionais e clique em editar. Você terá vários campos, por isso novamente iremos falar de cada um deles individualmente:

  • Website: O LinkedIn permite que você insira, no máximo, três links para os seus sites. Eles podem ser uma excelente ajuda para você conseguir ganhar um link extra para a sua página. No entanto, não é um link normal. O LinkedIn dá-lhe a possibilidade de escolher inserir o seu blog pessoal, nome da empresa, etc. O problema desta opções sugeridas pelo site é que você não irão linkar com um texto âncora que ajude o seu site de forma direta. No entanto, existe uma forma de você conseguir alterar essa situação. Basta escolher a opção “Outro”. Aqui, você pode explorar a palavra-chave que você deseja que seja linkada. Imagine que você tem um site sobre notícias de tênis, só que o URL do seu site não tem qualquer relação com essa palavra. Você pode escolher notícias de tênis como palavra-chave e linkar o seu site para lá. Poderá ser uma excelente ajuda em termos de motores de busca fora do LinkedIn.
  • Interesses: Nesta parte, é onde você explica o que gosta de fazer. Mas tenha cuidado para ser sincero neste gênero de opções. Isto porque o LinkedIn irá ligá-lo a pessoas que tenham os mesmos interesses do que os seus. Coloque tudo aquilo que você goste de fazer fora do trabalho e aproveite para dar um ar mais pessoal ao seu perfil no LinkedIn.
  • Grupos: Nesta parte é onde você mostra o seu envolvimento no mundo dos negócios. No LinkedIn, você poderá juntar-se a vários grupos, onde são debatidos os mais variados temas. Conforme os seus interesses, o LinkedIn também irá sugerir grupos para você. Se você por exemplo gosta de freelancing, constantemente o LinkedIn estará sugerindo grupos relacionados com esta área. Além disso, pessoas que participem no mesmo grupo que você serão consideradas pessoas em primeiro grau de conexão, o que é ótimo para você conseguir expandir a sua rede. Lembro também que você poderá, no máximo, entrar em 50 grupos.
  • Associações: Ligado aos grupos, temos também as associações. Como o próprio nome indica, aqui você irá escrever a que género de associações você está associado. Pense para que clubes ou empresas você trabalha como responsável ou se você pertence a algum grupo de voluntariado. Se você quer expandir a sua rede, também deve ter em atenção a este ponto, pois o LinkedIn irá sugerir pessoas que estejam ligadas às mesmas associações do que você.
  • Reconhecimentos e prêmios: Aqui, você pode aproveitar para fazer bastante branding pessoal. Você já recebeu algum prémio como freelancer? O seu site já foi destacado em algum concurso? Insira aqui todos os reconhecimentos que você já teve.
  • Twitter: O LinkedIn também permite que você insira a sua conta do Twitter. Para fazê-lo, basta ir a “editar perfil” e clicar em “Informação adicional”. Um janela de pop up irá aparecer pedindo a sua do Twitter. Até há bem pouco tempo, era possível permitir que os seus tweets fossem partilhados no mural do seu LinkedIn. No entanto, isso agora não é mais permitido.

Como pode ver, a ligação que existe entre todos os grupos e interesses no LinkedIn pode ser a chave para você conseguir encontrar as pessoas certas. Antes de terminar este ponto, queria apenas recordar para ter uma especial atenção para as suas atualizações de status no LikedIn. Ele site não é uma rede social como o Facebook ou Twitter, para você ficar desabafando sobre a sua vida. Aqui é importante você partilhar notícias sobre os seus trabalhos, sobre negócios ou sobre as últimas tendências sobre empreendedorismo. Pense sempre duas vezes antes de postar algo no LinkedIn.

EDUCAÇÃO

Tal como em todas as redes sociais, no LinkedIn você também tem uma seção para inserir a informação sobre a sua educação. Aqui, basta você inserir as primeiras palavras do seu colégio que uma lista irá começar aparecendo. Depois de escolher o seu colégio, verá que o LinkedIn passará a sugerir pessoas que também tenha estudado nesses locais. Esta é também uma forma interessante de rever pessoas que não vê há muito tempo! O LinkedIn sugere que você também insira o ano em que terminou a sua licenciatura. Muitas pessoas não gostam de o fazer, mas a verdade é que esta é mais uma ajuda para você conseguir encontrar quem ter o curso no mesmo ano do que você.

Logo abaixo, você tem todas as atividades que realizou nessa instituição. Trabalho voluntário, participação em grupos do colégio e esportes universitários são tudo atividades que devem ir para estar parte. Na parte final, você ainda tem a hipótese de inserir as “notas adicionais”. Nesta seção, você irá escrever tudo o que aconteceu mais relevante durante a sua formação: destaques que teve enquanto aluno ou prémios que tenha recebido são apenas alguns exemplos do que pode escrever.

Repare que no canto superior direito da sua conta existe uma barra, com um percentual. Esse número corresponde ao percentual do seu perfil, quanto mais completo ele estiver, melhores serão os seus valores. O objetivo é mesmo chegar aos 100%. Pode dar um pouco mais de trabalho mas compensa, visto que, segundo o blog do LinkedIn, quem tem o seu perfil nos 100% tem 40 vezes mais chances de ser sugerido do que outra pessoa qualquer.

ADICIONAR SECÇÕES

Há pouco tempo, o LinkedIn também deu a possibilidade de você aumentar as suas secções, incluindo certificados, patentes, línguas ou publicações. Essa mesma opção está logo abaixo da sua foto de perfil. Clique em “Adicionar Secções” e irá abrir uma nova janela pop up. Vamos explicar em que consistem as meias importantes:

  • Certificado: Quando você fez algum workshoop ou aquelas cursos de final de semana, opte por inserir aqui em vez de fazê-lo na formação acadêmica.
  • Línguas: Se você sabe falar inglês, espanhol ou francês, este é o local certo para você espalhar o seu conhecimento. Você tem ainda possibilidade de selecionar a qualidade dos seus idiomas, tendo como opção cinco níveis.
  • Publicações: Você trabalha como escritor freelancer e já escreveu um livro? Aqui é o local certo para você dar a conhecer o seu trabalho. Você também utilizar esta parte para indicar artigos seus que tenham conseguido um grande destaque ou guest-posts que tenha publicado e queira nomear.

SEO

Antes de passarmos aos passos seguintes, é importante que você perceba um pouco do SEO no LinkedIn. Se você reparar, existe uma barra de pesquisa no canto superior do seu perfil. É através dessa barra que as empresas irão procurar trabalho. Por isso, é determinante que você consiga estar nos primeiros lugares. Se você for jornalista freelancer e pretender encontrar trabalho, precisa de pensar nas palavras que a empresa irá utilizar para encontrá-lo. Estas palavras têm de ser utilizadas por si na maioria dos seus campos! No entanto, é necessário inserir estas palavras de uma forma natural. Trabalhe primeiro para os humanos e depois para os motores de busca.

O LinkedIn prioriza, desta forma, as secções com maior impato:

  • Título do perfil (a sua profissão)
  • Resumo
  • Especializações
  • Títulos dos empregos
  • Descrição dos empregos

Por isso, garanta que estas áreas são ricas em keyword que você pretende ser encontrado. Defina algumas que são essenciais para a divulgação e foque-se nelas, sabendo que quanto maior for o número de palavras-chave, menor será a quantidades das mesmas no seu perfil.

EXPERIÊNCIA

Aqui será a parte onde você vai dar a conhecer toda a sua experiência na área e os locais onde já trabalhou. É normal que você tenha várias dúvidas nesta parte, mas vamos devagar pois ela é muito importante para que você possa ser encontrada mais facilmente quando alguém procurar colaboradores na sua área. O primeiro passo é agarrar numa folha de papel e listar todos os trabalhos que você já teve. Recorde-se que, para o perfil do LinkedIn estar 100 % completo, você necessita de ter pelo menos 3 trabalhos adicionados ao seu perfil.

Depois de ter feito a lista, está na hora de você escolher quais os trabalhos que você vai inserir no seu currículo. O importante é não ir do 8 para o 80: coloque apenas aqueles que considerar mais relevantes. Existem perfis com 20 trabalhos, o que torna chato e impossível a sua visualização. No entanto, também existem outros com apenas três, o que cria uma imagem de pouca experiência profissional.

Agora, chegou o momento de você inserir corretamente todos os dados nos campos. É comum vermos casos de pessoas utilizando palavras menos corretas e pouco descritivas no cargo que desempenham, o que significa que estão perdendo uma boa oportunidade de rankearem melhor. Na descrição do seu cargo, aproveite para acrescentar o maior número de informação. Recorde-se que tem 100 caracteres para usar!

Nota: Em primeiro lugar escreva para humanos e só depois para os motores de busca. Tente equilibrar os dois de forma a ficar lógico e que o ajuda a rankear ao mesmo tempo.

A descrição é outra das partes determinantes. Ok, se você trabalhou para o Google, talvez nesta parte não seja necessário você descrever a empresa. No entanto, grande parte dos profissionais trabalhou para empresas desconhecidas pelo público. Por isso, o primeiro passo na descrição é fazer uma breve apresentação da empresa. Depois, resuma aquilo que você está fazendo (ou fez) para essa mesma empresa. Há quem também aconselhe a explicar quais os benefícios que você trouxe para a empresa. Essa parte, deixo a seu critério. Segue abaixo uma pequena lista do que você pode escrever:

  • Descrição da empresa
  • Um pequeno resumo da sua relação com a empresa
  • Quais as suas responsabilidades dentro da empresa
  • Resultados conseguidos
  • E no caso de já não trabalhar com ele, o que o ajudou este trabalho a melhorar enquanto profissional

RESUMO

Esta é talvez a parte mais importante do seu resumo. É aqui que você vai “vender” a sua imagem. Esta é a sua oportunidade de chamar a atenção da empresa! Em primeiro lugar, você precisa de responder a uma pergunta: Para que serve o seu perfil no LinkedIn? O seu resumo será escrito conforme os seus objetivos. Esta parte, não serve apenas para você promover a sua imagem, mas também para promover os seus produtos ou serviços. Todos os seus leitores são potenciais compradores daquilo que você vende.

A primeira coisa que deve fazer é captar a atenção da pessoa. Os mais criativos, certamente poderão começar com uma frase mais estimulante. Mas se você é daquelas pessoas que não tem imaginação para este gênero de situações, o meu conselho é que comece com uma pergunta. Aqui fica um exemplo se você for escritor freelancer:

Quer melhorar os artigos do seu site? Quer ter artigos de qualidade e que chamem a atenção dos seus leitores?

Estas são apenas ideias de questões, que podem, ou não, ser utilizadas no seu perfil. No entanto, isto não é algo obrigatório. Você pode apenas começar dizendo o seu nome e quais as suas funções profissionais. Se quiser, sinta-se à vontade de seguir a linha orientadora que criei no meu perfil, clicando aqui. Na descrição, poderá também inserir o seu email ou número de celular, de forma a facilitar a comunicação. Tenha também cuidado com a formatação: O LinkedIn tem espaços para que possa inserir parágrafos, portanto utilize-os!

NOME E FUNÇÃO

Agora já estamos perto do fim. Apesar de o nome e a profissão parecerem algo bastante comum, a verdade é que eles são determinantes para o SEO do seu LinkedIn. Em primeiro lugar, opte por utilizar o nome completo. Esqueça siglas como “Henrique M.” ou “H.M.”. Use os seu nome completo, pois as empresas poderão estar procurando por vocês e quando o fizerem será pelo nome completo. Por outro lado, se você for conhecido profissionalmente por outro nome qualquer, opte por inserir esse nome.

De seguida, você terá um espaço para inserir o seu trabalho. Como você se recorda, este é um dos aspetos mais importantes na hora de trabalhar o SEO do seu LinkedIn. O que você precisa de fazer é pensar que função você pretende que seja encontrado pelas empresas. Eu, por exemplo, poderia inserir escritor freelancer, blogueiro ou professor de tênis. No entanto, as palavras-chave que me interessa ser encontrado é escritor freelancer e blogueiro, deixando a parte do professor de tênis. E é por isso que tenho essas palavras inseridas na minha função. Outro dos motivos porque esta parte é tão importante é porque ela é uma das poucas seções visíveis pelas buscas e pelas respostas no LinkedIn.

CONCLUSÃO

Como pôde ver, existem inúmeras formas de você melhorar o perfil no LinkedIn. Ainda poderíamos explorar aqui outros pontos como os grupos ou a questão da fotografia, mas isso deixaremos para outros artigos. O importante é que você agora agarre em todos estes passos e realize-os um a um. Sei que isto poderá demorar algum tempo, mas lembre-se que só o fará uma vez e depois basta ir atualizando conforme novos acontecimentos na sua vida profissional forem aparecendo. Mas acredite que vale a pena. Estamos falando de uma rede enorme de contatos que podem surgir, talvez até com maior facilidade (e qualidade) do que no Facebook. Mais para a frente irei explorar formas de vocês ganharem mais conexões. Por enquanto, é importante cumprir tudo o que escrevi acima.

Se pretender, também sinta-se à vontade de me adicionar no LinkedIn, clicando aqui. Terei todo o prazer em trocar algumas ideias com você!

Abraço e bom trabalho!

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.