Marketing Digital 06/03/2014

10 coisas que a faculdade não ensinou (nem nunca vai ensinar) sobre freelancing

Luciano Larrossa Publicado por Luciano Larrossa

Ainda há algumas semanas, um leitor enviou um email com uma pergunta bastante interessante:

“Luciano, estou na faculdade e quero começar a minha carreira de freelancer. Devo esperar terminar a faculdade para iniciar a minha carreira de freela ou devo começar já?”

Depois de pensar um pouco, a minha resposta foi óbvia: comece já. Não que a faculdade não tenha algo a ensinar em muitas profissões. Se você quer ser jornalista freelancer você necessita de aprender a fazer uma reportagem, as éticas do jornalismo, etc. Já se você quer ser Web Designer também necessita de adquirir os conhecimentos dessa área.

O que eu quis transmitir para ele foi que o estudo era importante, porém, não era imprescindível na hora começar a carreira de freelancer. Obviamente este leitor não poderá começar sozinho: necessita de alguém que oriente os seus primeiros passos. Nesse caso, o melhor será oferecer os seus serviços numa agência ou começar a colaborar com outro freelancer mais experiente, conseguindo assim ganhar uma melhor noção de como lidar com clientes, como cumprir prazos, etc

Conhecimento vs ser prático

O ensino atual peca muitas vezes por ser demasiado teórico e no mercado de trabalho temos vários exemplos de empreendedores que saíram da faculdade para iniciarem os seus negócios. O problema surge quando a faculdade é vista como o destino final, quando na verdade ela é apenas uma parte de um percurso muito maior. Quem se focar em visualizar a conclusão de uma faculdade como o destino final, terá vários problemas no futuro…

Foi então que surgiu a ideia de escrever um artigo sobre as 10 coisas que a faculdade jamais vai ensinar sobre freelancing. Todos estes pontos fogem um pouco do enquadramento teórico de uma faculdade e focam-se mais na vertente prática da carreira do freelancer.

Vamos à lista!

iniciar carreira de freelancer

1. Não peça “desculpa”

Na faculdade, quando um trabalho está atrasado ou surgiu algum imprevisto, o primeiro pensamento do estudante é: “Vou explicar ao meu professor o porquê de ter atrasado o meu trabalho. Certamente ele vai entender”.

Com alguns professores isso funciona, com outros nem tanto…

Enquanto freelancer, atrasos são o suficiente para fazer você perder um cliente. O segredo para conseguir cumprir os prazos está numa boa organização. Antecipar-se aos prazos combinados com o cliente é uma boa forma de garantir que os imprevistos não sejam suficientes para comprometer a entrega do projeto.

2. Projete menos e faça mais

A imagem que você vai ver aqui em baixo foi o esboço que eu usei para escrever este artigo:

Mapa mental para escrever texto

Um simples mapa mental com os dez tópicos que eu iria abordar durante o texto. Isso tudo demorou…dois minutos.

Na faculdade, muitas vezes os professores pedem uma quantidade enorme de documentos, planilhas e regras académicas que muitas vezes mais atrapalham do que ajudam. Na sua carreira de freela, foque na praticidade da sua organização. Se o seu planejamento está atrapalhando mais do que ajudando, acredite: você está fazendo algo errado. O planejamento e organização servem para agilizar a prática e não o contrário.

Ainda esta semana li um texto bastante interessante da Thais Godinho do blog Vida Organizada onde ela fala sobre o “Constante adiamento da nossa vida“. Vale a pena conferir.

3. O mercado não procura por você. Você é que procura o mercado

Este foi um dos pontos que mais dificuldades gerou na minha carreira de freela, muito por culpa dos maus hábitos impostos pelo meu percurso acadêmico.

Enquanto estudante, estava habituado a receber ordens dos meus professores. “Faça isto, faça aquilo”. Quando comecei a minha carreira de freela, o fato de ter que pesquisar clientes causou um choque na minha organização. E agora, como iria angariar clientes? Como iria falar com eles? E se eu escutasse um não? Era sinal de que o meu trabalho não era bom?

E por aí vai…

Esta modificação do processo de pensamento foi muito complicada. Se você é um estudante e quer começar a carreira de freelancer, aprenda o quanto antes a vender os seus serviços e aquilo que você faz. Ganhar este hábito não é algo que aconteça da noite para o dia.

Dica de artigo: 11 coisas que gostaria de saber antes de ter iniciado a minha carreira de freelancer

4. Não misture amigos com trabalho

Na faculdade, muitas vezes é a amizade que define com quem vamos realizar os projetos sugeridos pelos professores. No trabalho, essa não é a melhor das opções.

amigos no trabalho

Existem amigos com quem eu sairia para beber uma cerveja mas jamais convidaria para trabalharem comigo. Nos negócios, escolher parceiros de trabalho pela amizade é o melhor caminho para terminar com ambas as coisas: com o trabalho e com a amizade.

Na hora de fazer negócios, pense bem com quem vai passar as oito ou dez horas do seu dia. Tempo é dinheiro.

5. O conhecimento só é válido se gerar resultado

Você conhece a frase “A informação é o seu maior ativo?”. Pois é, ela não passa de uma grande mentira, que contada repetidas vezes parece verdade. Caso isso fosse verdade, você e eu estaríamos ricos. Afinal de contas, ambos temos acesso ao Google, o que significa ter acesso a praticamente toda a informação do mundo.

Informação sem aplicação de pouco vale. Por isso, o segredo para o sucesso não é o conhecimento, mas sim aquilo que fazemos com ele. Você até pode ler o meu ebook Ser Freelancer, mas se não aplicar o que eu digo lá, você gastou dinheiro à toa.

A faculdade muitas vezes ajuda a priorizar o teórico ao invés do prático, quando na verdade ambos devem estar em patamares similares.

6. Férias? O que é isso?

Como eram bom aqueles três meses de férias por ano não é verdade? Pois é, isso termina a partir do momento que você entra no mercado de trabalho. Se estivermos falando da carreira de freelancer então, vão existir anos em que as férias nem existem…

Mas isso é certo ou errado? Depende. Ficar um ano sem tirar férias, por exemplo, não é o fim do mundo. Existem momentos da carreira de freelancer que é necessário trabalhar mais do que o habitual. O negócio está crescendo, necessita de angariar clientes, etc. O problema existe se isso for uma prática comum.

Já na faculdade, são sempre garantidos dois a três meses de férias por ano. Sem dúvida que isso não representa aquilo que você vai enfrentar no mercado de trabalho…

Mas se você é uma pessoa que necessita de férias de tempos a tempos, aconselho que dê uma olhada neste texto do Augusto Campos, do blog Efetividade, onde ele fala sobre um software que calcula a melhor data para emendar férias com feriados prolongados.

7. Você terá de renovar os seus conhecimentos sempre

Na faculdade, você termina uma disciplina e dificilmente você terá de olhar para aquela matéria novamente. Mais uma vez, isso não corresponde à realidade…

Na carreira de freela, renovar os conhecimentos é fundamental. Existem sempre técnicas de produtividade novas, atualizações de softwares ou novas estratégias para gerar leads para o seu negócio. A renovação de conhecimentos e a realização de projetos devem estar sincronizadas. Isso garante um trabalho de melhor qualidade e a uma maior satisfação do cliente.

8. O seu foco não será apenas em uma coisa

Quando escolhermos um curso numa faculdade, ele é vocacionado apenas para uma área. Pode ter várias ramificações, mas jamais foge muito daquilo que é o centro da temática do curso.

Enquanto freela, você terá de saber:

Entre muitos outros conhecimentos necessários. Aprenda o quanto antes a dominar mais do que uma área, porque isso fará a diferença na sua carreira.

9. Não existem segundas chances

Segundas oportunidades é algo raro no mercado de trabalho, principalmente se estivermos falando de freelancers, que não têm os mesmos benefícios que os trabalhadores de uma empresa. Na faculdade, se você não consegue uma boa nota numa prova, você terá sempre uma segunda chance (pelo menos aqui em Portugal é assim).

Se você tem mesmo interesse em iniciar a carreira de freela, aprenda a aproveitar as oportunidades.

10. Notas não significam nada

Quando você termina a faculdade, você tem acesso a um diploma com as suas notas. Elas deixam-nos orgulhosos e são uma excelente injeção de confiança para o nosso ego. Porém, em muitos casos não passam disso mesmo: uma pequena injeção de confiança em nós mesmos.

Obviamente que conseguir boas notas na faculdade é importante, mas isso é apenas uma parte do caminho. O mesmo acontece com o trabalho. Ter um portfólio recheado de bons projetos e bons clientes é ótimo, mas o que realmente faz a diferença são os resultados que você está apresentando com o cliente atual! Esses sim, vão garantir clientes futuros e fazer com que o seu negócio prospere.

Um último aviso…

Atenção que, com este texto, não estou afirmando que a faculdade não é essencial. Ela foi muito importante para mim e representa um grande marco na minha carreira profissional. Agradeço do fundo do coração a todos aqueles que compartilharam conhecimento comigo durante todos esses anos.

Porém..

O que pretendo alertar é que a faculdade não é o objetivo final, mas sim uma fase do percurso, que em conjunto com muita prática tende a gerar resultados fantásticos!

E vocês freelas, o que vocês aprenderam na faculdade e que ajudou à vossa carreira de freela? Ou melhor: o que gostariam de ter aprendido na faculdade?

Abraço,

Luciano Larrossa

P.S. Existe um texto publicado pelo site Designerd muito interessante que fala também sobre este tema mas é mais vocacionado para designers. Pode conferi-lo clicando aqui.

Novo usuário?

Comece aqui

e-book “SEJA MAIS PRODUTIVO”

Baixe o ebook “Pensamentos sobre marketing digital”

Preencha os seus dados abaixo e receba esse e outros materiais por e-mail.